Amiguinhos Amados

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Bichinhos - Até que a morte nos separe!!


As pessoas podem decidir o que fazer de suas vidas, infelizmente os cães não podem.
Um amigo meu, que é veterinário, está cansado de receber ligações para a clínica:

Voz - Estou com um probleminha, será que vocês podem me ajudar?

É que eu vou me mudar para um apartamento e, lá no condomínio, eles não aceitam cachorro, depois ele já mordeu meu filho e quer atacar as pessoas, mas ele é ótimo... tenho um carinho enorme por ele e estou sofrendo muito porque vou ter que me desfazer dele.
Então eu gostaria de doar o Killer para alguém que ame os cães e sei que irá tratá-lo muito bem, vocês aí aceitam doações?

V - Infelizmente não podemos aceitar doações, procure a Sociedade Protetora dos Animais.

Voz - Eles não aceitam, se vocês não aceitarem vou ter que mandar sacrificar...

Isto dito em tom de ameaça!

O que pode um cão fazer quando não serve mais?

Em primeiro lugar, quando uma pessoa decide ter um cão, deve pensar muito bem, pois ele, supostamente, irá conviver com ela em torno de 10 a 12 anos. Claro que devemos pensar que essa união será até que a morte nos separe, mas não a eutanásia.

A Dor de Consciência

O primeiro passo é a doação! As pessoas tentam doar para quem certamente irá cuidar muito bem do seu "amado" cãozinho. Não fariam isso com seu próprio filho.

Algumas dessas pessoas, porque não dizer, a maioria, quer se desfazer do seu cão, e com razão, porque já teve problemas com ele. Ou ele mordeu alguém, ou os vizinhos estão reclamando, ou foi proibido na convenção de condomínio ou, simplesmente, o cachorro foi comprado para presente no aniversário do filho e o filho encheu o saco e não quer mais o brinquedo.

Traduzindo em bom português, em virtude de sua dor de consciência, a pessoa quer transferir o "problema" para outra pessoa. A outra pessoa vai aceitar e vai ter os mesmos problemas. Rapidinho esse cão será doado novamente.

Cada vez que um cão troca de dono, torna-se mais inseguro e, conseqüentemente, mais agressivo.

O fim dele, com certeza, será o sacrifício, termo abominável que serve para esconder o verdadeiro sentido do ato: execução sumária! Assassinato!

... e nós, humanos, ainda insistimos em classificar certos animais de "Assassinos".

O Humano Teme, o Humano Mata!

Sempre foi assim.

2 comentários:

  1. Verena!
    O Xixo está muito bem tratado!!! Que bom!
    Sabe, eu fico indignada com as pessoas que agem assim. Se desfazem dos bichos como se eles fossem objetos! E assim farão com as pessoas também. É só terem a oportunidade!
    Bjkas e obrigada pela visita!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  2. E é mesmo. Eu não consigo compreender. Os meus animais fazem parte do meu agregado familiar. Foi assim que sempre vi meus pais encararem os animais. Temos a obrigação de cuidar deles, de ensinar-lhes, de diverti-los, enfim, de conviver com eles. A "Boneca" durou 19 anos. É claro que convivemos com uma "Boneca" cega, surda, com um andar todo torto por causa da artrite, sem dentes, e faleceu quando a bexiga deixou de funcionar. Mas nunca deixou de ser a nossa "Boneca" e chorámos muito a sua partida...

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba