Amiguinhos Amados

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Bichinhos - Você sabia??

Sissy foi atropelada e deixada em frente a uma clínica veterinária de São Paulo quando tinha apenas 2 meses. Por causa do acidente, teve inúmeras fraturas e machucados, mas a consequência mais grave foi a tetraplegia. Quando o final triste se desenhava, no entanto, a vira-lata foi adotada e ganhou um lar, carinho e dedicação
Um dos gatos adotados  é Bóris, que foi abandonado quando tinha 2 meses. Ele teve uma fratura na medula, que, provavelmente foi causada por um “pisão” ou um chute. Agredido e muito machucado, ele foi abandonado na rua. Mas logo uma das protetoras da ONG o encontrou. Bóris chegou a passar por cirurgias, mas seu quadro era irreversível. Ele não tem o movimento das duas patas traseiras e se move apenas com as dianteiras. Mas esse “pequeno detalhe” não é um obstáculo para o bichano. “Ele corre, brinca, faz bagunça e quer atenção o dia inteiro. Até subir no arranhador ele sobe, e apenas com as duas patas que se movimentam”, diz a dona.
Ter um animal deficiente em casa requer cuidados especiais. Inúmeros cachorros são abandonados todos os dias nas ruas da capital paulista. Os motivos são muitos: velhice, maus-tratos, hiperatividade, agressividade, deficiências ou até mesmo porque o dono não quer mais o bichinho. Segundo o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de São Paulo, cerca de 50 animais, entre gatos e cachorros, são adotados por mês, na maioria filhotes. Se para um cachorro sem qualquer tipo de deficiência já é difícil ser adotado, imagine o tamanho da dificuldade em encontrar um novo lar para um animal com algum problema físico.

E é justamente esse o desafio da ONG Sava (Solidariedade à Vida Animal). Criada em 2006, a ONG, que é a primeira do país a cuidar especialmente de animais deficientes, realiza feiras de adoção de cachorros deficientes todos os meses. A presidente, Arlete Martinez, é protetora dos animais há 20 anos e resolveu criar a ONG ao perceber que esse tipo de animal precisa de uma dedicação especial. “Sou protetora há bastante tempo. A ideia surgiu da vontade de ajudar esses bichinhos, que, na maioria das vezes, passam a vida toda esperando um novo lar
.

7 comentários:

  1. Estou tão feliz que alguém está disposto e capaz de cuidar deles. Eles merecem muito amor.

    ResponderExcluir
  2. Que trabalho maravilhoso!Uma beleza!beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!
    Já conhecia a história e achei emocionante!!
    Que bom que ainda há pessoas assim:)
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Que trabalho maravilhoso!! Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Muito impotante essa postagem! Esses bichinhos merecem o mesmo amor que todos os outros.

    ResponderExcluir
  6. Sou totalmente a favor a adoção de animais deficientes e adultos também. A Niki é cega de um olho, sei que a deficiência dela perto de outras, é muito pequena, porém também sei o quanto difícil seria a sua adoção por conta desses dois fatores: deficiência e por ser uma gatinha adulta. Eu apoio e adotaria um gatinho com outro tipo de deficiência sem dúvida nenhuma.

    Parabéns a ONG e que Deus ajude sempre essas lindas pessoas de bom coração! Beijos! Néia

    ResponderExcluir
  7. Verena,adorei sua postagem!Os bichinhos que mais precisam geralmente são aqueles que ninguem quer adotar!Generosa atitude dessa Ong!Bjs,

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba