Amiguinhos Amados

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Solidão

A solidão é um problema cada vez mais freqüente na vida dos cães e gatos.Hoje em dia os donos passam a maior parte do tempo fora de casa, deixando-os sem companhia por várias horas seguidas.

O cachorro é um animal social e por isso precisa do contato com o grupo que pertence para aprender suas regras, comportamentos e rituais. O contato social é tão importante para o desenvolvimento físico e emocional de um cão quanto dar vacinas, ração e água.

Tudo piora quando falamos de filhotes. Deixar um filhote sozinho pode gerar danos muito mais graves do que podemos imaginar.

Ao trazermos um filhote para casa passamos a ser sua matilha e ele aprenderá conosco através de estímulos e repreensões. Se este cão passa horas sozinho ele não terá nenhuma referência de comportamento e tomará suas decisões de certo ou errado sozinho. Esta falta de referência faz com que toda sua aprendizagem fique comprometida e um dos primeiros sinais é fazer cocô e xixi sempre no lugar errado.

Como podemos exigir um bom comportamento de um cão que passa a maior parte do seu tempo sem ser educado?

Outra questão importante é a brincadeira. Os filhotes adoram brincar e além disso têm uma energia enorme e precisam gastá-la brincando, correndo, caçando, pulando. Estes cães normalmente brincam pouco e fazem pouquíssima atividade física.

Filhotes solitários são normalmente hiperativos e ansiosos. São ansiosos porque acham que foram abandonados e quando seu dono chega fazem qualquer coisa para obter a atenção, como se estivesse tentando compensar o tempo em que ficou sozinho.

Este cão quando adulto dificilmente conseguirá ficar deitado ao lado do dono. Ele sempre exigirá atenção total o tempo todo, tornando-se inconveniente.


Bichinhos - Gatinhos & Apartamento


Os gatos são bichinhos mais fáceis de se criar em apartamentos por sua natureza, pois fazem as necessidades na caixinha de areia, são limpos, fazem pouco barulho. Mas são necessários alguns cuidados.

Para se criar um gato num apartamento você precisa:

1 - De um apartamento não muito pequeno.

2- Manter a vacinação sempre em dia, assim você evita o problema de pegar alguma doença, e também protege seu animal

3- Tela para gatos nas janelas, isso é muito importante. Você pode achar que a janela é alta demais, mas gatos são animais espertos, eles vão achar algum jeito de pular ali, por isso não esqueça da rede na janela.

4- Sempre limpe a caixa de areia, pois o cheiro tende a ficar forte se você não limpar.

Dê bastante carinho ao seu bichinho, e você vai ter um "companheirão"!!!

Se possível, não deixe seu "amiguinho" muito tempo sózinho!!!

Muitos donos pensam que se um gato destrói sofás, arranha o dono e mia alto, então dois gatos são o dobro do trabalho. Se pretende adotar um gato, adote dois, caso saiba que vai estar muitas horas fora de casa. Se já tiver um gato, certifique-se de que ele aceita bem a nova companhia, uma vez que nem todos os felinos aceitam um novo gato em casa.



sábado, 27 de fevereiro de 2010

Bichinhos - O cão e o ciúme


O nosso "amiguinho" expressa ciúme com intuito de defender o que considera importante para ele. "É um comportamento instintivo que, de certa forma, está presente tanto em cachorros quanto em humanos." O território, os objetos e o próprio dono são as preocupações dos bichinhos.

Bichinhos - Gatinhos são muito ciumentos


Ciúmes: O gato é muito ciumento. Se houver mais de um gato na casa eles vão ficar observando se um recebe mais carinho do dono que o outro. Por isso deve haver uma boa divisão de atenção, para não acarretar traumas. O gato é muito sensível e fica deprimido.

Mágoa: O gato é um bichinho facilmente magoável. Se leva muita bronca, se fica muito tempo sem ver o dono, se não pode ficar muito tempo no seu colo: tudo isso, e muito mais, magoa o gato e ele fica tristinho. Ele é muito apegado ao dono e se sente rejeitado. Para donos de gatos que moram em casas: se ele trouxer pra você uma caça (um passarinho, um rato, uma borboleta), receba com alegria e "agüente" um pouco. O gato está tentando ser grato ao lhe oferecer este presente, e a sua recusa causará traumas psicológicos no gato.

Seu Gato e Você: O seu gato refletirá e absorverá todos as suas emoções. É um receptor da energia do dono. Ficará nervoso e inquieto se você estiver. Ficará calmo se você estiver. E naturalmente o gato lhe trará tranqüilidade, pois é um animal muito brincalhão, companheiro e pacífico.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Homenagem ao nosso Boxer


Fui criada rodeada de bichinhos de estimação desde bem pequena.
Quando me casei, passada a euforia da festa e da tão sonhada lua de mel, a volta para minha "nova" casa foi bastante estranha.
Onde estava o meu cão que fazia parte da família?
Estava muito feliz e realizada, mas como meu marido saia bem cedo, para trabalhar, e só voltava à noite, sentia muita falta de um "companheirinho" de quatro patas!!
Qual foi a minha alegria, quando uma bela noite, meu marido chegou trazendo nos braços uma pequena "bola de pêlo" que me foi apresentada como sendo o Bruno!!
Bruno era um cão da raça Boxer, que logo me adotou como "mãe"!!
O tempo foi passando e nasceu nossa primeira filhinha. Bruno se revelou uma perfeita babá, para o nosso bebê!!!
Ficava o tempo todo, por perto do bercinho, cuidando da sua "irmãzinha" humana!!!
O nosso "amiguinho" nos proporcionou muita alegria e foi um companheirão!!!
Bruno foi muito amado e sempre será lembrado com o maior carinho assim como o nosso poodle Pepi, que também virou uma linda estrelinha brilhante!!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Como apresentar o Xixo à Lila!!!


Para acostumar o Xixo à idéia de dividir o território com a Lila é essencial que seja feita uma apresentação gradual.Como esta apresentação não foi gradual, o encontro de Xixo e Lila, tem sido um stress!!
Para quem não sabe, Xixo e Lila são primos. Mas quando um visita o outro, é um desastre!
Temos então, de agora em diante,que tomar certos cuidados:
Tempo e paciência são as chaves para ter sucesso na introdução de um novo gato em sua casa. O novo gato deve ter um aposento só para ele por alguns dias. Troque o seu cobertorzinho com o do gato residente, para que eles possam se conhecer através do olfato antes que tenham a oportunidade de se ver. Depois disso, troque de aposentos. Deixe que o novo gato explore o resto da casa enquanto o gato residente passa algum tempo no aposento do novo gato. Depois que eles se sentirem à vontade com essa etapa, abra um pouquinho a porta do aposento do novo gato de modo que eles possam se ver, mas não possam abrir a porta completamente. Dê aos gatos em ambos os lados da porta alguma comidinha gostosa. Dois brinquedos pequenos amarrados por um barbante comprido passado por baixo da porta encorajarão uma brincadeira paralela. Quando os gatos estiverem calmos com a presença um do outro está na hora de deixar que o gato novo saia por alguns minutos. A duração das visitas pode ser aumentada gradualmente dia a dia. Esse processo pode levar alguns dias ou alguns meses, dependendo da personalidade dos gatos. Normalmente o tempo é menor quando um dos gatos têm menos que 4 meses de idade.

Durante todo o processo de apresentação fale calmamente e em voz baixa com os gatos. Elogie-os generosamente quando eles demonstrarem tolerância com a presença do outro gato. Nunca repreenda ou use um tom de voz severo quando eles estiverem juntos, ou eles irão associar coisas ruins com a presença do outro. Dê atenção especial ao gato residente, uma vez que é o território dele que está sendo invadido, e muito provavelmente será esse velho amigo que precisará ser mais tranqüilizado. Até que eles se tornem amigos, dê atenção ao novo gato somente quando o gato residente não estiver por perto.

Se a qualquer momento os gatos se tornarem receosos ou hostis, coloque o recém-chegado de volta ao seu quarto e feche a porta. Um pequeno revés não irá arruinar a amizade florescente, mas um encontro muito agressivo será lembrado por um longo tempo e deve ser evitado a todo custo. Sempre que você se deparar com problemas, volte um estágio no processo e então cuidadosamente siga adiante novamente. Você é a única pessoa que pode determinar o ritmo do processo de apresentação. O tempo que você passar fazendo com que seus gatos gradualmente se acostumem um ao outro será recompensado com anos de um harmonioso companheirismo felino.
E então, Xixo e Lila, vamos tentar novamente?
Quero que saibam, que são Bichinhos muito Amados!!!

Bichinhos- Como apresentar o cão ao gato e vice-versa!


A aproximação deve ser feita com controle máximo. O cão fica contido na guia e o gato é posto numa caixa de transporte ou numa gaiola, para não haver risco de sair correndo e estimular o cão a persegui-lo.

A simples proximidade dos dois é valiosa para a "terapia" fazer efeito. A distância entre ambos deve ser tal que o gato não entre em pânico e que o cão consiga controlar a agressividade predatória. Pode-se tentar inicialmente mantê-los a cinco metros um do outro, por exemplo. Durante a sessão, ofereça guloseimas e brinquedos ao gato e ao cão.

Isso os distrairá e fará que relacionem o outro a algo prazeroso. Com o tempo, o cão transferirá seu principal interesse para os petiscos e os brinquedos. E o gato se mostrará tranqüilo na caixa de transporte, mesmo quando o cão estiver bem próximo. A duração e a freqüência de cada sessão podem variar. De modo geral, quanto maiores ambas forem, melhor, desde que seja sempre respeitado o bem-estar dos bichinhos.

Quando o gato estiver brincando durante as sessões, é porque está ficando relaxado na presença do cão. A soltura, inicialmente, será apenas do gato. O ideal é fazê-la numa área pequena, como um quarto, para reduzir a possibilidade de o gato sair correndo, o que estimularia o instinto de caça do cão.

Com o cão na coleira, abrimos a caixa de transporte. Permitimos que o gato saia, sem forçá-lo. Enquanto o gato estiver solto, o cão fica na guia. Como medida de segurança, convém estar com um borrifador de água para, se houver tentativa de ataque por parte do gato, inibi-lo com borrifos. Repita a sessão em diferentes ocasiões.

Quando o cão e o gato se mostrarem totalmente confortáveis na presença um do outro, use uma guia mais longa no cão. Solte o gato em ambientes cada vez maiores, sempre mantendo o cão na guia.

Repreenda o cão de imediato se ele esboçar intenção de perseguir o gato. Fique especialmente atento nas primeiras corridas. Nunca deve ser permitido que o cão assuste o gato, independentemente da intenção: brincar, cheirar ou atacar. O cão pego nessas situações ou em outras que intimidem o gato, como olhar fixamente para o felino, correr na direção dele ou obstruir a passagem dele, deve ser advertido com uma bronca, um tranco na coleira ou outra situação desagradável. Ao inibir o comportamento do cão, precisamos ser eficazes sem assustar o gato.

Só deixe o gato e o cão totalmente livres, sem supervisão, quando a convivência entre eles estiver totalmente tranqüila.


terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Bichinhos & Humanos


O afeto que brota entre humanos e animais de estimação tranqüiliza a mente e enternece o coração. Portanto, abrace e brinque com seu bichinho. Cabeça e corpo agradecem

Empurrar sorrisos para fora é o primeiro benefício que um animal proporciona a qualquer pessoa. E que benefício. Um sorriso espontâneo vale por uma sessão de relaxamento, porque enche o sangue de endorfina, um calmante natural que, além de amolecer deliciosamente o corpo, ainda fortalece o sistema de defesa do organismo. Ou seja, quem sorri mais adoece menos. É por essas e outras que não param de pipocar pesquisas afirmando que os donos de animais de estimação vivem mais, melhor e estão menos sujeitos a enfermidades

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Bichinhos - O que o Xixo faz por sua "família"!


Esquenta nosso colo e nos dá alguém para falar.

Ajuda a baixar a pressão.

Cria um elo entre nós e as outras pessoas que têm gatos.

Transforma objetos comuns em brinquedos.

Nos faz mais atentas aos pássaros.

Funciona como alarme.

Exibe acrobacias para nós

Contribue para tornar nossa vida mais longa.

Enfeita o peitoril da janela.

Mantém os ratos longe.

Nos faz sorrir.

Inspira os poetas e escritores.

Nos ensina a ter os pés no chão.

Nos faz deixar nossos desejos em segundo plano em prol de alguém.

Aquece nossa casa e nossos corações.

Nos lembra de como a vida é misteriosa.

Compartilha conosco o seu ronronar.

Nos instrue na arte de se espreguiçar.

Mostra-nos como levantar a poeira e dar a volta por cima.

Faz com que até nosso sofá velho pareça bonito.

Abre nossos corações.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Castração


Xixo foi castrado!!
O pós operatório foi tranquilo. O bichinho já está brincando e correndo pela casa, novamente

MITOS E VERDADES SOBRE A CASTRAÇÃO

"A castração deixa o animal gordo"
Falso. A castração pode causar aumento do apetite, mas se a ingestão de alimento for controlada e o dono não ceder às vontades do animal, o peso poderá ser mantido. Observa-se que animais castrados quando jovens, antes de completar 1 ano de vida, apresentam menos sinais de aumento de apetite e menor tendência a se tornarem obesos. A obesidade pós castração é causada, na maioria das vezes, pelo dono e não pela cirurgia.

"A castração deixa o animal bobo"
Falso. O animal ficará letárgico após a castração apenas se adquirir muito peso. Gordo, ele se cansará facilmente e não terá a mesma disposição. A letargia é conseqüência da obesidade e não da castração em si. Os animais na fase adulta vão, gradativamente, diminuindo a atividade. Muitos associam erroneamente esse fato à castração.

"A castração mutila o animal, é uma cirurgia cruel!"
Falso. A cirurgia de castração é simples e rápida e o pós-operatório bastante tranqüilo, principalmente em animais jovens. É utilizada anestesia geral e o animal já estará ativo 24 horas após a cirurgia. Não há nenhuma conseqüência maléfica para o animal que continuará a ter vida normal.

"A castração evita câncer na fêmea"
Verdadeiro. As fêmeas castradas antes de 1 ano de idade, têm chance bastante reduzida de desenvolver câncer de mama na fase adulta, se comparado às fêmeas não castradas. A possibilidade de câncer de mama é praticamente zero quando a castração ocorre antes do primeiro cio. A retirada do útero anula a chance de problemas uterinos bastante comuns em cadelas após os 6 anos de idade, cujo tratamento é cirúrgico, com a remoção do órgão.

"O macho castrado não tem interesse pela fêmea"
Falso. Muitos machos castrados continuam a ter interesse por fêmeas, embora ele seja menor comparado a um animal não castrado. Se o macho é castrado e há uma fêmea no cio na casa, ele pode chegar a cruzar com ela normalmente, sem que haja fecundação.

"Castrando os machos eles deixam de fazer xixi pela casa"
Verdadeiro. Uma característica dos machos é demarcar o território com a urina. Se o macho, cão ou gato, for castrado antes de um ano de idade, ele não demarcará território na fase adulta. A castração é indicada também para animais adultos que demarcam território urinando pela casa. Nesse último caso, pode acontecer de animais continuarem a demarcar território mesmo após a castração, pois já adquiriram o hábito de urinar em todos os lugares.



sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Sabedoria canina


Já se imaginou agindo com a sabedoria canina? A vida teria uma perspectiva mais amistosa. Tente:
Nunca deixe passar a oportunidade de sair para um passeio.
Experimente a sensação de ar fresco e do vento na sua face por puro prazer.
Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudá-lo(a).
Quando houver necessidade, pratique a obediência.
Deixe os outros saberem quando invadiram o seu território.
Sempre que puder tire uma soneca e se espreguice antes de se levantar.
Corra, pule e brinque diariamente.
Coma com gosto e entusiasmo, mas pare quando estiver satisfeito.
Seja sempre leal.
Nunca pretenda ser algo que você não é.
Se o que você deseja está enterrado, cave até encontrar.
Quando chamar a atenção, deixe alguém tocá-lo.
Evite morder quando apenas um rosnado resolve.
Nos dias mornos, deite-se de costas sobre a grama.
Nos dias quentes, beba muita água e descanse todo o seu corpo.
Alegre-se com o simples prazer de uma caminhada.
Não importa quantas vezes for censurado, não assuma a culpa que não tiver e não fique amuado..., corra imediatamente de volta para seus amigos.
Quando alguém estiver passando um mau dia, fique em silêncio, sente-se próximo e, gentilmente, tente agradá-lo.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Amor entre cão e gato

Eu sou o Xixo. Miaudolei o selinho que ganhei da miauguinha Kika!!



Coisas que me fazem feliz
Pular no colo do "Meu mãe" e dar lambidinhas
Beber água fresquinha, no potinho que está no banheiro
Comer ração "molinha"
Escapulir, quando alguem deixa a porta aberta
Brincar com minha bolinha
Tomar vento na janela da sala
Dormir na cama do "Meu mãe"
Correr pela sala
Assistir televisão
Pular no teclado do Pc

Dedico este selinho para:
Karol
Robertinha
Moisés
Chopp, meu miaugão
"Meu Mãe"
Kika
Tia Graça
Tia Sôninha
Tia Rosa Carioca
Tia Marina
Tio Ricardo
Tia Mari
Priminha Lila

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Achei útil postar esta matéria, pois serve de alerta!!


Uma gata preta ficou com sua cabeça entalada em uma lata de ração de gato e teve que ser levada a um centro de atendimento de animais na cidade de Fife, na Escócia.

Depois de ter a lata "cuidadosamente" removida de sua cabeça, a gata passou por uma checagem geral e levada para Edimburgo, onde aguardará por seus possíveis donos ou por uma nova família.

A equipe do centro da Sociedade Protetora dos Animais escocesa não sabe como a gata chegou ao local. Eles não acreditam que a gata seja abandonada, pois, além de estar muito bem cuidada, ela usava um colar preto com olhos verdes de gato impressos. Porém, eles não conseguiram localizar o dono na vizinhança.

"Por sorte, não houve nenhum dano, e a gatinha ficou muito satisfeita ao ser libertada do desconforto de ter uma lata entalada em sua cabeça", disse Colin Seddon, diretor do centro de resgate de animais.

"Nós imaginamos que provavelmente ela estava procurando comida e acabou encontrando essa lata de ração de gato descartada", comentou Seddon. Para ele, a gata teve sorte por não ser atingida por um carro.

"Isso só ilustra o risco que o lixo pode representar para animais selvagens e domésticos. Nós sempre encorajamos as pessoas a garantir que seu lixo é descartado em sacos plásticos e dentro das latas, pois isso pode salvar a vida dos animais", completou.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Obrigada Roberta, por ter enviado esta matéria


Alarmados com a onda de calor de níveis africanos, os donos de cachorros e gatos correram às pet shops em busca de protetor solar para os bichinhos. A procura surpreendeu os proprietários das lojas especializadas que sofrem para repor o produto nas prateleiras.

Nas lojas há fila de espera para o cosmético. Marcos André, proprietário de uma pet shop no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio, conta que diariamente dezenas de pessoas vão à loja em busca do protetor.

“As pessoas estão se conscientizando que é importante prevenir os cães e gatos das irradiações solares”, explica o empresário.

O produto é vendido em média por R$ 30 e é indicado para as áreas como focinho, orelhas, abdômen, principalmente para animais de pouco pelo, de pele clara ou despigmentada.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Minha "miauguinha" Kika e Eu!!!


Estou muito feliz pois encontrei uma "miauguinha" muito linda no nosso Blog!
Ela é uma "gatinha"!!!
O que vocês acham?
Fiquei sabendo, que tem um "selinho" para mim, só que "meu mãe" não achou e não sabe como fazer quando se ganha este "selinho"!
Ron rons do
Xixo

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Para pensar hoje:


"Jamais creia que os animais sofrem menos do que os humanos. A dor é a mesma para eles e para nós. Talvez pior, pois eles não podem ajudar a si mesmos." - Dr. Louis J. Camuti

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Porque ter um cão em casa?




* Para, ao chegar em casa, ser saudado por alguém que o ama e crê não poder viver sem você.

* Para que ele o ensine a acreditar nos seus semelhantes.

* Para você aprender a viver sem egoísmo e ser responsável por alguém que depende de você e nunca reclama.

* Para que não se esqueça de que na vida também é preciso brincar, como ele faz.

* Para ter um alarme vivo e um policial que não dorme.

* Porque um cão é o único amor verdadeiro que o dinheiro pode comprar!

Bichinhos - Você sabia???


· Homens e gatos possuem a mesma região do cérebro responsável pelas emoções.
· O cérebro do gato é mais similar ao do homem do que ao do cão.
· O gato possui mais ossos do que os humanos. Enquanto o homem possui 206, os gatos possuem 245 ossos.
· Os gatos possuem 30 vértebras, 5 a mais que os humanos.

· Gatos possuem 32 músculos que controlam suas orelha. Ele pode girar suas orelhas, independentemente, a quase 180 graus, e 10 vezes mais rápido do que o melhor cão de guarda.
· A audição dos gatos é muito mais sensível do que a dos homens e cães. Seus ouvidos afunilados, canalizam e amplificam os sons como um megafone.
· Os gatos ouvem até 65 khz (kilohertz), enquanto que os homens ouvem até 20 khz.

· Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.
·Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária ao homem para enxergar.
· Recentes estudos revelaram que os gatos podem ver o amarelo, azul e o verde. Ainda não se sabe ao certo, se conseguem ver o vermelho, provavelmente essa cor é vista como cinza ou preto..

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Curiosidades sobre gatos


A expectativa de vida de um gato de rua (sem dono) é de cerca de 3 anos. Um gato com dono e dentro de casa, pode chegar a 16 anos. Uma fêmea chamada "Ma", viveu por 34 anos, sendo o gato que viveu mais tempo, que se tenha registro, até hoje.
. Para calcular a idade do seu gato, considere que o primeiro ano de vida equivale à 15 anos humanos. Adicione 4 (anos) a cada ano a mais de vida que ele tiver.

· Napoleão Bonaparte, Dwight Eisenhower e Hitler, detestavam gatos.
·Winston Churchill, Abraham Lincon, Florence Nightngale, Robert E. Lee, Sir Isaac Newton, Mark Twain, compositores como Ravel e Chopin , Buddha, Mohammed, Jules Verne, Ernest Hemingway, Henry David Thoreau, Monet, Renoir. Scarlatti and Liszt, Camille Saint-Saens, Albert Schweitzer, adoravam gatos.

Bichinhos - Porque os cães ladram?




1- Alerta ou "Oi"! Está a acontecendo alguma coisa!" Este tipo de latido tem tendência a ser de um tom medianamente alto, e com sons curtos e repetitivos.

2- Alarme ou "Não te quero fazer mal!"Este é um tipo de ladrar com um tom baixo e tem tendência a começar com um rosnar. A porção depois do rosnar é caracterizada por sons longos em duração. Indica que o cão identificou algo ameaçador ou assustador.


3- Stress ou "O que é que eu faço agora??" Parecido com um choro de um bebê denota um elevado nivel de stress por parte do cão. Normalmente acontece em situações de emergência para o bichinho.

4- Brincadeira ou "Vamos logo"! É um ladrar com tom alto e muito curto.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Bichinhos -Porque um gato ronrona?

De satisfação? Não necessariamente. Numa situação de grande dor, ferimento, parto ou até mesmo morte, é frequente os gatos ronronarem alto e longamente. Ronronar é uma chamada de atenção. Por isso, tanto pode ser um sinal para um veterinário informando que o gato está ferido e precisa de carinho, como uma maneira de mostrar gratidão ao dono pela amizade que este lhe dá.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Homenagem aos cães "vira-lata"!!!


Das criaturas, entre o céu e a terra, foi dado a uma tornar-se especial. É o cachorro vira-lata. É o rei dos bichinhos de nome composto, com seu verbo, seu hífen e seu substantivo.

Vira-lata é o nome científico dessa raça de cães que vive entre os homens com a liberdade que os bípedes almejam tanto e não têm, embora possuam um par de membros desocupados para fazer o que quiserem.

Um vira-lata sempre parece saber para onde vai, com seu passo decidido. E, se parado, aparenta a solidez de quem está no devido lugar, na hora certa. Os humanos, por mais que saibam para onde ir, sempre têm esse ar um tanto patético dos perdidos no mundo. Parados, mal sabem onde pôr as mãos. Por isso, inventaram os bolsos.

E eles, junto com os bolsos, criaram uma designação engraçada para o vira-lata: srd ou sem-raça-definida. Os homens precisam definir tudo. Porque os cães de raça, cada homem escolhe de acordo com o apartamento ou casa – que tem – ou personalidade – que acha que tem.

E, assim, os cães de raça, com suas designações pomposas e pedigrees, podem ser escolhidos por seus donos, criteriosamente. O vira-lata, por sua vez, prefere e sabe fazer escolhas ele mesmo. Sem árvore genealógica, atravessa a rua sozinho e consegue comida com sua humilde auto-suficiência.

Há, sem dúvida, mais nobreza em um vira-lata que em um galgo de corrida. As agruras da sarna, dos atropelamentos e das pedradas dão fibra à sua alma.

Repare naqueles que nunca tiveram um vira-lata. Parece que lhes falta algo. O sorriso, talvez, tenha menos de rabo abanando em seus componentes e mais de tédio e fleuma, ou coisa assim. O vira-lata ensina a ser feliz com pouco. Mesmo quem não tem nada pode ter um cão, desde que ele deixe. O bêbado e o louco conversam com um vira-lata de igual para igual. Ao menos esses conseguem se alçar à altura do cão. E este lhes lambe as mãos.

Veja a procissão de cães atrás de uma única cadela. Dinastias inteiras de vira-latas foram fecundadas e fundadas em madrugadas quando até o amor, esse item em extinção, era dividido.

Vira-latas há aos montes por aí. E não tem um que seja igual ao outro. Parecidos, às vezes. Em sua miscelânea genética, ele é antes de tudo um forte. Nunca precisou de vacina pra sobreviver.

Quando perguntam por aí: se você fosse um bicho qual seria?, todos respondem coisas como águia, leão ou tigre. Eu demorei pra descobrir, mas hoje eu respondo de boca-cheia.

Se eu fosse um bichinho, eu seria um vira-lata. Desses amarelo e brancos.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Xixo o meu grande amiguinho!!


Gatos "Vira-Lata"


Pelo menos uma vantagem os gatos vira lata (sem raça definida) tem sobre os cães: bem tratados eles ficam com uma pelagem linda, e ,não raro, são confundidos com gatos de raça.Como é o caso do Xixo!!!

É fato que o gato não tem o mesmo grau de sociabilidade e dependência que os cães demonstram, mas o engraçado é que o que é qualidade nos gatos para quem gosta deles, é defeito para os que não gostam. A sua independência, a sua limpeza (se bem que, a não ser nos gatos em que os donos dão banho, seus pêlos acumulam um pouco mais de pó ,que pode ser um problema para quem tem alterações respiratórias), sua não necessidade de carinhos a toda hora, sua presença silenciosa na casa, etc, seduzem os amantes de gatos.

E a verdade é que as características dos gatos podem a grosso modo ser dividido entre o comportamento do gato de pelo longo e o de pelo curto. Isto, na prática, significa que um gato vira lata e um siamês, respeitando as variações individuais, têm o mesmo gênio. O de pelo longo é mais comportado, dócil e mais “parado”; os de pelo curto são mais vivos, independentes e efusivos. Exigem menos cuidados que os de pelo longo, porem miam muito mais, e gostam muito de sair de casa para passear.

Outro fato é que , diferentemente dos cães, que tem muitas raças, e variações quase extremas, os gatos não tem tantas raças, e o seu comportamento mantem- se quase igual (excetuando - se a diferença mais marcante entre os de pelo curto e os de longo),. Então, para se adquirir um bom exemplar da espécie não é necessário se procurar um gato de raça definida, um puríssimo vira lata representa muitíssimo bem a espécie, e deixa o dono satisfeito, se o que ele queria era um gato, somente.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Agressividade


Um problema que chateia muitos donos de cães é a agressividade que seus cães demonstram frente a pessoas desconhecidas e outros cães na rua. Este é um sintoma típico de cães que não foram devidamente socializados quando filhotes, ou seja: o cão acredita que a aproximação de outro cão, ou de pessoas estranhas a ele, significa um perigo potencial, então ele reage agressivamente.

Muitas vezes o próprio dono reforça este comportamento agressivo do cão, mesmo sem se dar conta disso. É o que acontece toda vez que um dono, ao ver seu cão latir ou rosnar para estranhos, faz carinho nele para acalmá-lo. Na visão do cão o carinho é uma recompensa, logo ele está sendo recompensado pelo comportamento agressivo. Com isso o cão acredita que aquele comportamento é o que o seu dono espera dele. Pronto! Está feita a confusão!

Outras vezes o proprietário vê alguém se aproximando e, já sabendo que seu cão será agressivo, fica tenso. Ao sentir que seu dono ficou tenso, o cão tem a confirmação de que a aproximação de pessoas estranhas é uma situação perigosa, e se é perigosa ele deve proteger seu dono. Logo ele late e rosna para este estranho perigoso.

Para que estas situações não aconteçam devemos acostumar o cão a andar calmamente entre pessoas desconhecidas, e outros cães também. Isso deve ser feito o mais cedo possível. O ideal é que se comece a sair com o filhote na rua assim que o veterinário o liberara para sair. Leve seu cão a praças ou parques e então faça com que seu filhote possa brincar com outros cães de idades, raças e sexo distintos. Da mesma forma deixe que ele brinque com pessoas bem diferentes. Faça com que este contato seja o mais prazeroso possível. Isso o deixará bastante sociável e tranqüilo.

Isso deve ser feito mesmo com cães de guarda. O fato de ele ser sociável na rua não fará com que ele seja um pior guarda na sua casa, muito pelo contrário: um cão medroso é um péssimo guarda, pois nunca será capaz de distinguir uma situação de perigo real de outra qualquer, já que todas lhe dão medo.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Raças exóticas


O Cão de Crista Chinês, também conhecido como Cão Chinês Cristado, é uma raça conhecida pela sua aparência fora do comum e personalidade alegre.

Eles são membros da denominada grupo toy de cães, dois tipos podem nascer da mesma ninhada: o pelado (hairless) e o pompom (powderpuff).

Acredita-se que é um animal de estimação Chinês desde o século XIII, e que sua mutação que proporcionou a perda de pêlos tenha ocorrido na África, ou pelo cruzamento desta raça com o Chihuahua.

Em uma primeira olhada, as variedades pelado e pompom do “Cão de Crista Chinês” parecem duas raças totalmente diferentes, mas o sem pêlo tem uma característica dominante como raça individual.

O pelado tem sua pele e ela tem uma textura similar a humana, mas possui também pêlos em suas patas e em seu rabo, e uma longa cobertura de cabelo em sua cabeça. Por ser um gene dominante, o gene "pelado" é letal quando homozigoto. Todos os cristados pelados que sobrevivem são heterozigotos para essa característica.

É considerado um cão de pequeno porte:

Tamanho dos Machos de (28 a 33 cm)
Tamanho das Fêmeas de (23 a 30 cm)

Os cães chineses cristados tendem ser afetuosos, muito energéticos e brincalhões, são considerados bons cães familiares.

Bichinhos - Cuidados ao criar um cão exótico


O conselho dos especialistas para quem pretende criar um cão exótico é verificar se o animal escolhido tem as características exatas da raça. Uma anomalia, embora pareça graciosa, pode significar que o cão é resultado de um cruzamento inadequado, que acarretará doenças mais tarde. É preciso também verificar se a raça escolhida se adapta ao clima brasileiro – a maioria das raças exóticas tem origem na Europa e na Ásia, regiões onde o clima é mais frio, e algumas sofrem com o calor dos trópicos.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Casar ou adotar um cachorro?



- Se você está em dúvida se casa ou se compra um cachorro, eis aí algumas dicas:

- Cachorros adoram quando o dono traz os amigos em casa;

- Cachorros não se importam se você usar o seu shampoo;

- Cachorros nem notam se você o chamar por outro nome ;

- Cachorros não fazem compras;

- Cachorros adoram quando você deixa um monte de coisas no chão;

- Cachorros têm o mesmo humor todos os dias do mês;

- Cachorros nunca querem saber sobre o seu passado;

- Os pais do cachorro nunca vêm lhe visitar;

- Cachorros nunca o criticam;

- Cachorros não se incomodam com o futebol;

- Cachorros não assistem novelas;

- Cachorros não são guiados por artigos de revistas, nem pelas "amigas"...

- Você não precisa esperar o cachorro se arrumar;

- Cachorros não notam se você chega em casa bêbado;

- Cachorros não se importam se você não toma banho;

- Cachorros não reclamam se você chega tarde em casa;

- Cachorros não usam cartão de crédito;

- Cachorros nunca abandonam seu dono;

- Pense bem...

Autoria Desconhecida


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Bichinhos - Como você pôde?


Quando era um filhote, eu o distraia com minhas travessuras e o fazia rir.
Você me chamava de sua criança e, apesar de um certo numero de sapatos mascados e um par de almofadas destruidas, eu me tornei sua melhor amiga . Sempre que eu fazia algo errado, você chacoalhava seu dedo para mim e dizia: "Como você pôde" - mas depois você se arrependia e me rolava no chão para me coçar a barriga. Meu treinamento demorou um pouco mais do que o esperado porque você estava ocupado demais, mas, juntos, nós conseguimos dar um jeito..
Eu me lembro daquelas noites em que me aninhava a você na cama e ouvia suas confidencias e sonhos secretos - e acreditava que a vida não poderia ser mais perfeita. A gente fazia longos passeios e corridas no parque, andava de carro, e parava para um sorvete (eu ganhava só a casquinha porque "sorvete não faz bem para cães" você dizia) e eu tirava longos cochilos ao sol enquanto aguardava sua volta para casa ao final do dia.
Aos poucos você passou a gastar mais tempo no trabalho e com sua carreira e levava mais tempo procurando por uma companheira humana. Eu esperei por você pacientemente, confortei-o em suas mágoas e desilusões, nunca o repreendi por suas escolhas ruins, e vibrei de alegria nas suas vindas para casa e quando você se apaixonou... Ela, agora sua esposa, não é uma "apreciadora de cães" - ainda assim eu a recebi em nossa casa, tentei mostrar-lhe afeição, e a obedeci. Sentia-me feliz porque você estava feliz.
Então vieram os bebês humanos e eu reparti com você o entusiasmo. Eu estava fascinada por seus tons rosados, seu cheiro, e queria muito cuidar deles também. Mas ela e você tinham medo de que eu pudesse machucá-los, e eu passei a maior parte do tempo sendo banida para outra sala, ou para a casinha de cachorro.. Oh, como eu queria tê-los amado, mas eu me tornei uma "prisioneira do amor."
À medida que foram crescendo, me tornei amiga deles. Eles se agarravam ao meu pêlo e se levantavam sobre perninhas trôpegas, enfiavam os dedos em meus olhos, examinavam minhas orelhas, e davam beijos em meu nariz. Eu adorava tudo isso, e o toque de suas mãozinhas - porque o seu toque agora era tão raro - e eu os teria defendido com minha própria vida, se fosse preciso. Eu me esgueirava para suas camas e escutava suas inquietações e sonhos secretos, e juntos esperávamos pelo barulho de seu carro no caminho.
Houve um tempo, quando alguém perguntava se você tinha cachorro, em que você tirava uma foto minha de sua carteira e contava histórias sobre mim. Nos últimos anos você apenas respondia "sim" e mudava de assunto. Eu passei de "seu cão" para "apenas um cachorro" e você reclamava de cada gasto que tinha comigo. Agora você tem uma nova oportunidade de carreira em outra cidade , e vocês irão se mudar para um apartamento onde não permitem animais. Você tomou a decisão acertada para sua "família", mas houve um tempo em que eu era sua única família.
Fiquei excitada com o passeio de carro até que chegamos ao abrigo de animais. O local tinha cheiro de gatos e cães, de medo, de desesperança. Você preencheu a papelada e disse "Sei que vocês encontrarão um bom lar para ela"... Eles deram de ombros e lançaram a você um olhar compadecido. Eles compreendem a realidade que espera um cão de meia idade, mesmo um com "papéis". Você teve que desgarrar os dedos de seu filho de minha coleira enquanto ele gritava "Não, papai! Por favor, não deixe que levem meu cão!". E eu me preocupei por ele, e com a lição que você tinha acabado de lhe dar sobre amizade e lealdade, sobre amor e responsabilidade, e sobre respeito por todo tipo de vida. Você deu um afago de adeus em minha cabeça, evitou meu olhar e, polidamente, recusou levar minha coleira e guia com você. Você tinha um tempo-limite para encarar e agora eu tambem tenho um.
Depois que você partiu as duas simpáticas senhoras que o atenderam comentaram que você provavelmente soube meses atrás da mudança que ocorreria e não fez nenhuma tentativa de encontrar um novo lar para mim. Elas sacudirram a cabeça e disseram "Como você pôde?". Elas são tão atenciosas para nós aqui no abrigo quanto seus ocupados horários permitem.
Elas nos alimentam, é claro, mas eu perdi meu apetite dias atrás. De início, sempre que alguem passava pelo meu alojamento , eu corria para a frente, na esperança de que fosse você - que você tivesse mudado de idéia - que isto fosse tudo um sonho mau.... ou eu esperava que ao menos fosse alguem que se importasse, alguem que pudesse me salvar. Quando percebi que não poderia competir com os alegres filhotes, inconscientes de seus próprios destinos, nas brincadeiras para chamar atenção, afastei-me para um canto distante, e aguardei.
Ouvi seus passos quando ela veio até mim ao final do dia, e a segui ao longo do corredor para uma sala separada. Uma sala deliciosamente silenciosa. Ela me colocou sobre a mesa, acariciou minhas orelhas, e disse-me para eu não me preocupar. Meu coração se acelerou na expectativa do que estava para vir, mas havia tambem uma sensação de alivio. A prisioneira do amor havia esgotado seus dias.
Como é de minha natureza, estava mais preocupada com ela. O fardo que ela carrega é demasiado pesado, e eu sei disso, da mesma maneira que conhecia cada um de seus humores. Ela gentilmente colocou um torniquete em volta de minha perna dianteira, enquanto uma lágrima corria por sua face. Lambi sua mão do mesmo modo como costumava fazer para confortar você há tantos anos atrás.. Ela habilmente espetou a agulha hipodermica em minha veia. Quando senti a picada e o líquido frio se espalhou através de meu corpo, deitei a cabeça sonolenta, olhei dentro de seus olhos gentís e murmurei "Como você pôde?".
Talvez por ter entendido meu linguajar canino, ela disse "Sinto tanto!", abraçou-me e apressadamente explicou que era seu trabalho fazer com que eu fosse para um lugar melhor onde não seria ignorada, ou maltratada ou abandonada, nem ter que me virar para sobreviver - um lugar de amor e luz, tão diferente deste lugar terrestre. E com minha ultima gota de energia tentei transmitir -lhe com uma sacudidela de minha cauda que meu "Como você pôde?" não era dirigido a ela.
Era em você , Meu Amado Dono, que eu estava pensando. Pensarei em você e esperarei por você eternamente. Possa alguem em sua vida continuar a demonstrar-lhe tanta lealdade.