Amiguinhos Amados

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Bichinhos - De Xixo para Kika

Amada gatinha,
Esta pequena mensagem dedico a tí
Quero dizer que estou bem e que te amarei eternamente
Ronrons estreladinhos do seu, sempre
Anjo Xixo
"Um dia sonhei que era um anjo...
E pensei... Um anjo... Mas de quem?...
Para proteger quem?...
Foi quando no meu sonho apareceste...
Vi-te triste... E te amei...
Por isso não queria ser só teu anjo...
Aí pensei... Quero ser tua...
Metade companheira... O teu amor...
Mas não podia...
No meu sonho eu era só um anjo na tua vida...
Foi então...
Que numa atitude desesperada de te ter...
Ofereci-te algo... E...sem pensar...
Sem pensar nas conseqüências...
Da minha mutilação eu te dei...
Uma Asa... Uma de minhas Asas...
A Asa que te faltava...
A Asa que nos transformaria num só corpo...
Num vôo cósmico... Juntos encontraríamos
um novo amor, um novo prazer físico ...
Mental... Espiritual... Enfim...
A felicidade total...
E foi assim que te dei a minha preciosa metade..."

Saudades Eternas de você!

13 comentários:

  1. Bela declaração do Xixo! Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Lindo e claro que as saudades ficarão pra sempre...Mais doces, sem sofrer, mas sempre presentes...beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Que comovente a msg do Xixo para a Kika!O amor é mesmo eterno!Lindo demais,Pepi!Lambeijos e rons rons da tia Anne!

    ResponderExcluir
  4. Mamãe,

    Passa no blog da Cida,deixei um selinho para ela te entregar.Beijokinhas no coração.

    ResponderExcluir
  5. Anjos,

    Todo vez que passo por aqui fico emocionada. a titia esta com muitas saudades. Passei para convidá-los a conhece meu outro espaço o www.ateliersuriel.blogspot.com. Ficarei feliz com a presença de vocês. Quero desejar também uma semana iluminada. Fique com o mestre Jesus.

    abraços de luz

    ResponderExcluir
  6. Sogrinha desculpa...gostei muito da mensagem do meu anjo Xixo ,mas estou chorando muito, pois não me convenci ainda que fiquei sem o MEU AMOR, agora é que vejo o quanto o amava , diz-lhe que o nunca vou esquecer nem deixar do amar.
    Da tua sempre Cinderela Kika

    ResponderExcluir
  7. O Gato Zen
    Uma homenagem do Hospital Espiritual do Mundo para o amiguinho Xixo.

    O Homem estava muito triste. Sabia que os dias do Gato estavam contados. O médico havia dito que não havia mais nada a fazer, que ele deveria levar o Gato para casa, e deixá-lo o mais confortável possível.
    O Homem acariciou o Gato em seu colo e suspirou. O Gato abriu os olhos, ronronou e olhou para o Homem. Uma lágrima escorreu pela face do Homem e caiu na testa do Gato. O Gato lhe lançou um olhar ligeiramente irritado.
    "Por que você está chorando, Homem?", perguntou. "Porque não suporta a idéia de me perder? Porque acha que nunca vai poder me substituir?"
    O Homem fez que sim com a cabeça.
    "E para onde acha que eu irei quando deixar você?", o Gato perguntou.
    O Homem deu de ombros, sem saber o que dizer.
    "Feche os olhos, Homem", disse o Gato. O Homem o olhou sem entender bem, mas obedeceu.
    "De que cor são meus olhos, meu pêlo?", o Gato perguntou.
    "Os olhos são dourados e o pêlo é marrom, um marrom intenso e vivo", o Homem respondeu.
    "E em que parte do corpo tenho pêlos mais escuros?", o Gato perguntou.
    "Nas costas, no rabo, nas pernas, no nariz e nas orelhas", disse o Homem.
    "E em que lugares você mais costuma me ver?", perguntou o Gato.
    "Eu vejo você... no parapeito da janela da cozinha, observando os passarinhos... na minha cadeira preferida... na escrivaninha, deitado em cima dos papéis de que eu preciso... no travesseiro ao meu lado, à noite".
    O Gato assentiu.
    "Você consegue me ver em todos esses lugares agora, mesmo de olhos fechados?", perguntou.
    "Claro. Vi você neles por muitos anos", o Homem disse.
    "Então, sempre que você quiser me ver tudo o que precisa fazer é fechar os olhos", disse o Gato.
    "Mas você não vai estar lá de verdade", respondeu o Homem com tristeza.
    "Ah, é mesmo?", disse o gato. "Pegue aquele barbante do chão - ali, meu 'brinquedo'".
    O Homem abriu os olhos, esticou o braço e pegou o barbante. Tinha uns 60 centímetros e o Gato conseguia se divertir com ele por horas e horas.
    "De que ele é feito?", o Gato perguntou.

    CONTINUA PARTE 2

    ResponderExcluir
  8. CONTINUA PARTE 2

    "Parece que é de algodão", o Homem disse.
    "Que vem de uma planta?", perguntou o Gato.
    "Sim," disse o Homem.
    "De uma só planta ou de muitas?"
    "De muitos algodoeiros," o Homem respondeu.
    "E seria possível que outras plantas e flores nascessem no mesmo solo do algodoeiro? Uma rosa poderia nascer ao lado do algodão, não?", perguntou o Gato.
    "Sim, acho que seria possível", disse o Homem.
    "E todas as plantas se alimentariam do mesmo solo e da mesma chuva, não é?", o Gato perguntou.
    "Sim", disse o Homem.
    "Então, todas as plantas, a rosa e o algodão, seriam muito parecidas por dentro, mesmo aparentando ser muito diferentes por fora", disse o Gato.
    O Homem concordou com a cabeça, mas não conseguia entender o que aquilo tinha a ver com a situação.
    "E então, aquele barbante", disse o Gato, "é o único barbante do mundo feito de algodão?".
    "Não, claro que não", disse o Homem, "foi tirado de um rolo de barbante".
    "E você sabe onde estão todos os outros pedaços de barbante, e todos os outros rolos?", perguntou o Gato.
    "Não, não sei... seria impossível saber", disse o Homem.
    "Mas mesmo sem saber onde estão você acredita que eles existem. E mesmo que alguns pedaços de barbante estejam com você, e outros estejam em outros lugares... mesmo que alguns sejam curtos e outros sejam compridos, e mesmo que seu rolo de barbante não seja o único no mundo... você concorda que há uma relação entre todos os barbantes?", o Gato perguntou.

    CONTINUA PARTE 3

    ResponderExcluir
  9. CONTINUA PARTE 3
    FINAL

    "Nunca tinha pensado nisso, mas acho que sim, há uma relação", o Homem disse.
    "O que aconteceria se um pedaço de barbante caísse no chão?", perguntou o Gato.
    "Bom... ele ia acabar enterrado, e se decompondo na terra", o Homem disse.
    "Sei", disse o Gato. "E talvez nascesse mais algodão naquele lugar, ou uma rosa".
    "Pode ser", concordou o Homem.
    "Quer dizer que a rosa no parapeito da janela pode ter alguma relação com o barbante na sua mão, e também com todos os barbantes que você nunca viu", disse o Gato.
    O Homem franziu a testa, pensando.
    "Agora pegue uma ponta do barbante em cada mão", instruiu o Gato.
    O Homem fez o que foi pedido.
    "A ponta na mão esquerda é o meu nascimento, e a na mão direita é minha morte. Agora junte as duas pontas", disse o Gato.
    O Homem obedeceu.
    "Você formou um círculo contínuo", disse o Gato. "Alguma parte do barbante parece diferente melhor ou pior que qualquer outra parte dele?"
    O Homem examinou o barbante e então fez que não com a cabeça.
    "O espaço dentro do círculo parece diferente do espaço fora dele?", o Gato perguntou.
    De novo, o Homem fez que não com a cabeça, mas ainda não sabia se estava entendendo onde o Gato queria chegar.
    "Feche os olhos de novo", disse o Gato. "Agora lamba a mão".
    O Homem arregalou os olhos, surpreso.
    "Faça o que eu digo", disse o Gato. "Lamba a mão, pense em mim em todos os meus lugares costumeiros, pense em todos os pedaços de barbante, pense no algodão e na rosa, pense em como o interior do círculo não é diferente do exterior".
    O Homem se sentiu bobo, lambendo a mão, mas obedeceu. Ele descobriu o que um gato deve saber que lamber uma pata é muito relaxante, e ajuda a pensar mais claramente. Continuou a lamber, e os cantos da boca começaram a esboçar o primeiro sorriso que ele dava em muitos dias. Esperou que o Gato lhe mandasse parar, mas, como este não mandou, abriu os olhos. Os olhos do Gato estavam fechados. O Homem acariciou o pêlo marrom, quente, mas o Gato havia morrido.
    O Homem cerrou os olhos com força e as lágrimas começaram a escorrer pelo seu rosto.
    Viu o Gato no parapeito da janela, na cama, deitado em cima dos papéis importantes. Ele o viu no travesseiro ao seu lado, viu os olhos dourados brilhantes, e o marrom mais escuro no nariz e nas orelhas. Abriu os olhos e, por entre as lágrimas, olhou para a rosa que crescia em um vaso na janela, e depois para o barbante que ainda segurava apertado na mão.
    Um dia, não muito depois, tinha um novo Gato no colo. Era uma linda gata malhada... Tão diferente do seu querido Gato anterior, mas, ao mesmo tempo, tão parecida.

    Fonte) http://www.petfeliz.com.br

    Com muito amor...

    ResponderExcluir
  10. KIPPY MARRIE14:34:00

    Olá...
    Linda homenagem Xixo..... Estrelinha brilhante junto com o amado Pepi.
    Tenho muitos amiguinhos que também viraram estrelinhas e estão a iluminar nossas noites e a clarear nossos caminhos.
    O jardim do céu está muuuuuiiitoooo florido com tantas flores lindas e cheirosas que estão lá.
    Mas... é a vida né? Sentimos falta na terra, mas sabemos que eles estão bem ao lado do Papai do Céu.
    Minha mamãe sempre diz isto a mim.
    Venha me visitar, estou com saudades de vocês.... BICHINHOS AMADOS!
    Eu e mamãe AMAMOS ter nossos amiguinhos sempre por perto.
    Estamos esperando.
    Fiquem com o Papai do Céu e até breve.
    Aus 1000 e Beijos 1000 da minha mamãe,

    KIPPY
    www.kippymarrie.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Que linda história, a da Esperança! O Xixo sempre será o Xixo no seu coração.

    ResponderExcluir
  12. Muito bonita. Eu ainda sinto falta de amigos meu anjo.

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba