Amiguinhos Amados

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Bichinhos - "NÓS" NÃO SOMOS MÁQUINAS

Aumiguinhos,
"NÓS" NÃO SOMOS MÁQUINAS, embora muitos humanos pensem desta forma.
Lambeijos do
Pepi e
Boa Leitura
Um dia desses, tocou o telefone. Atendi. Uma voz feminina e melodiosa do outro lado da linha:
- Senhor Fretas?
- As suas ordens.
- Senhor Fretas, me informaram que o senhor é a pessoa mais entendida em matéria de cachorros, no Brasil. - Tal informação, minha senhora, é hermeticamente certa: não sou apenas o melhor cinólogo do Brasil, mas de todo o hemisfério. Qual é o seu problema?
- Sabe, Sr. Fretas, eu sou apaixonada por cães embora muito frustrada: nunca pude realizar meu desejo de possuir um.  Principalmente porque minha mãe não os tolerava.
- Muito bem, retruquei, então qual é a sua dúvida: financeira, sentimental, técnica ou política?
- Acontece - soou do outro lado da linha a voz melodiosa que atualmente moro sozinha num apartamento. Mas, no meu prédio, só são admitidos cães de pequeno porte.
- Sem problemas: posso lhe indicar inúmeras raças de cães pequenos e a Sra. escolher qual a de sua preferência.
- Ocorre, senhor Fretas, que minha empregada já advertiu que não andará catando pêlos que o animal soltar, muito menos a sujeira que ele fizer.
- Bem, disse-lhe, a primeira dificuldade é fácil de contornar: a senhora pode comprar um cão "Pelado Mexicano", que, além de jamais soltar pêlos (pudera, é calvo!!'.), dispensa o uso da escova, da raspadeira e dificilmente conduz pulgas. A outra questão, porém, já é mais difícil de se evitar: como o cão se alimenta pela zona norte, os resíduos têm, forçosamente, que sair pela zona sul. Uma forma de se amenizar tal situação, é comprar um cão um pouco mais velho, e que já seja "housebroken". isto é, que não ande sujando pela casa toda, mas apenas na área de serviço, ou onde lhe seja indicado.
- Mas - falou minha cinófila, do outro lado da linha - me falaram que um cão mais velho já não se adapta bem ao novo dono. Eu bem que gostaria...
- Então, respondi, a senhora quer um cachorro novo/velho, não é?
- Sim, mas isto não é o problema principal. Ocorre que eu tenho um sítio, para onde viajo toda sexta-feira e de onde só volto na segunda-feira. Como naquela região tem havido muitos assaltos, preciso de um cão grande, que tome conta de mim, durante a viagem, e que guarde bem a casa.
- Se entendi bem, o que a senhora deseja é o seguinte: um cachorro pequeno de segunda a quinta-feira e um grande de sexta a segunda-feira.
- Não é exatamente isto, porque subsiste um problema: os filhos de meu caseiro têm medo de cães grandes, e, logicamente não posso ter dois cachorros, daí... - Então recapitulemos, disse-lhe: a senhora quer um cão bravo/manso, peludo/pelado, grande/pequeno e novo/velho. Saiba que, mesmo sendo um grande entendido em matéria de cachorro, desconheço qualquer raça que corresponda às suas necessidades. Não obstante, talvez lhe possa dar uma indicação: conheço, aqui em São Paulo, um engenheiro "expert" no assunto e que costuma construir uns cães muito certinhos quanto as suas angulações, proporções, etc. É de meu conhecimento que ele já fabricou tais cães movidos a álcool, energia solar e biomassa. Assim, quero crer que ele seja capaz de inventar um cão eletrônico e inflável: dessa forma a senhora manteria o animal, de segunda a sexta-feira, no tamanho "apartamento" (diga-mos, de 8 a 10 libras de pressão). Sexta-feira (lembre-se, os postos fecham as 19 horas), a senhora mandaria infla-lo (talvez por volta de 20/25 libras) até que ele alcançasse o tamanho desejado para a guarda do sítio. Como a única alimentação desse cão se faria com o ar, em sua zona sul também só sairia ar, mesmo assim quando se abrisse a válvula. Como vê, um cão absolutamente limpo. Poderia, além disso, ser o cão programado para ficar absolutamente mudo, de segunda a sexta-feira (quando no apartamento), podendo, durante a viagem e a estada no sítio, soltar terríveis rosnadas, rugidos e latidos. Além disso, se aparecesse a "carrocinha", ou ainda quando outro cão o viesse molestar, a senhora simplesmente abriria a válvula e o colocaria em qualquer gaveta ou no porta-luvas do carro.
- Mas...
- Deixe-me terminar, minha senhora. Além disso, esse cão jamais iria perseguir cadelinhas no cio, não precisaria tomar vacinas, nunca ficaria doente, etc., etc. Quero dizer que ele resolveria todos os seus atuais problemas, dando-lhe total satisfação e nenhum aborrecimento.
- Mas - insistiu minha interlocutora - isto não é um cão verdadeiro, isto é uma máquina...
- Claro, disse-lhe, mas também a senhora não é uma cinófila verdadeira...
A voz melodiosa, no outro lado da linha desligou
Fritz Caspari
(Revista Atualidades Caninas Veterinárias No102 AnoXII)











 

10 comentários:

  1. Ainda bem que você Xixinho gostou da minha foto a mami quando está bem a té tem umas ideias engraçadas...como essa senhora...ela o que queria erea um cão maquina...maluca..é melhor não ligar a essas pessoas
    Bom fim de semana
    Turrinhas e ronronzinhosai para estrelinhas e para minha sogrinha
    Mami manda beijinhos
    Kika

    ResponderExcluir
  2. Muito verdadeiro, não somos máquinas, mas que fotografia é adorável!

    ResponderExcluir
  3. KKKK...Muito bem bolada essa história!Ela queria mesmo uma máquina e não um cão!Lambeijos e rons rons da tia Anne!

    ResponderExcluir
  4. Esse texto é ótimo, muitas pessoas querem um cão perfeito e isso não existe, mas infelizmente as pessoas só entendem isso depois que já adotaram/compraram e daí ficam reclamando ou até desistem do cachorro. Quem não quer ter trabalho que não tenha animais em casa.
    Ótimo fim de semaninha pra vocês !
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  5. Xixinho então pensavas que eu não me punha toda bela para ti..assim eu sei que não olhas para outras estrelinhas...que eu cá na terra sou a única namoradinha que tu tens
    1000 turinhaspara ti meu querido
    1000 ronrons para meu amigo Pepi
    1000 carinhos para minha sogrinha
    Kika

    ResponderExcluir
  6. Xixinho mas tu estas comigo ,viste as estrelinhas?
    Kika

    ResponderExcluir
  7. rsrsrs pior q é desse jeito mesmo!!!!! na minha comu d adoção d gatos uma mulher uma vez deixou "quero um gato macho, amarelo, manso, que goste de criança" eu respondi " aqui so tem gato, preto, chato e odeia crianças!" eu ñ suporto pessoas q procuram um modelo! tem q ser adoção por amor, e ñ por aparencia! bjs

    ResponderExcluir
  8. Muito interessante.E pensar que isto realmente acontece...beijinhos de paz.

    ResponderExcluir
  9. Que pena de cachorros que vivem pra reprodução.

    Bjs, Néia

    ResponderExcluir
  10. Amor dá trabalho, mas trás recompensas.
    Lambidinhas da Tixa, Juju e Shake

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba