Amiguinhos Amados

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Bichinhos - A História de Bordeaux

Aumiguinhos Aumados,
Aqui quem escreve é o Pepinho.
Esta Histórinha fez escorrer lagriminhas dos meus olhinhos...
Achei muito bonita e nobre a atitude desta familinha, que  adotou um Bichinho adulto e ainda doentinho.
Desejo a todos muitos lambeijos estrelados e que tenham um
FELIZ ANO NOVO
Com Carinho
do aumiguinho
Pepinho
Bordeaux se foi em fevereiro de 2010, vítima de insuficiência renal. Eu e meu marido o encontramos na rua, em um terreno baldio atrás de uma loja de automóveis (da qual ele acabou ganhando seu novo nome), muito fraco e doentinho, e o adotamos.
Apesar das suspeitas de avançada idade (aproximadamente 10 anos), ele ficou um tempo internado e se recuperou muito bem. Mas às vésperas de completar 1 ano conosco, sua doença se agravou e ele não resistiu. Era um cachorrinho muito especial.


O Bordeaux nos ensinou muitas coisas e uma delas foi sobre a adoção de animais adultos. Desconheço histórias de pessoas que adotaram animais adultos e não gostaram da experiência. Simplesmente não há histórias de má-adaptação, de rejeição. Só de carinho, respeito e gratidão. Há, sim, pessoas que se arrependem, mas porque se precipitaram, não avaliaram o que é ser responsável por uma vida; se arrependem não por culpa dos animais que adotaram, mas por culpa delas mesmas e de sua inconseqüência. Se arrependem da adoção da mesma forma com que se arrependeriam de ter adquirido um filhote.

Quando tiver a oportunidade de ter um cachorro novamente, será através da adoção, e de um animal já adulto. Respeito muito os criadores de raças e as pessoas que querem ter um laço com um cachorrinho desde o seu nascimento, mas pra mim isso é o menos importante, e simplesmente não me vejo à frente de uma ninhada, escolhendo um filhotinho. E quando chegar a hora, tenho certeza de que não me arrependerei, assim como não me arrependi por ter adotado o Bordeaux. Pelo contrário, só agradeço por tudo o que vivemos e pelo que poderíamos ter vivido se a existência dele conosco não fosse tão curta.
Ao me despedir dele, levei comigo alguns versos que escrevi sobre ele, que retratam bem a nossa história:
Veio para nós com uma grande carga de sofrimento.Carinhoso, educado, gentil, pacato, esse era o Bordeaux.
Quando o adotamos, tivemos que conquistar seu olhar, sua confiança, seu amor, e retirar dele as marcas dos maus-tratos e do abandono.
Aos poucos o medo se tornou respeito, a indiferença se tornou carinho.
O rabinho, antes estático, balançava só com um olhar.
O olhar, que antes era para o chão, aprendeu a nos encarar com doçura.
Aprendeu tudo o que ensinamos.
Gostou do nome que escolhemos pra ele, nunca titubeou.
Quando desobedecia, até ficávamos felizes, pois era sinal de que estava adquirindo auto-confiança.
Por vezes chamado de lindocão, fozito, carentão, bordozito, não podia escutar a palavra “passear” sem se empolgar, pular e girar.
Quando demorávamos pra sair pro passeio, ou quando chovia e não dava pra passear, ele sentava perto da gente, quietinho, mas soltava uns ganidinhos de reclamação de tempo em tempo.
Gostava da caminha pura, sem a almofada.
Quando não queria comer, virava as costas pra ração, e ia de volta pra caminha sem olhar pra trás.
Era tímido pra tirar foto, chegava a ficar desconcertado com a câmera.
Não saía da caminha por causa de comida, mas saía pra ganhar um carinho.
Não pisava no molhado e nem na grama.
Odiava ração.Adorava manga
Não sabemos quando nasceu, calcula-se que há uns 10 anos atrás.
Mas pra nós foi no dia em que o encontramos, ou melhor, no dia em que ele nos encontrou.
Bordeaux, 18/03/2009 a 17/02/2010.
Renata Galvão de Melo – Belo Horizonte / MG








9 comentários:

  1. Que maravilha essa atitude de vocês! Afinal é um ser vivo que sente dores, fome,etc. e necessita do carinho de alguém para cuidar. Parabéns!
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa mais linda!
    Eu já "criei" 05 "deixados" aqui em casa,três já viraram estrelinhas e no momento estou com dois.Amo-os de montão.Os animais realmente nos dão belas lições.beijinhos de paz.

    ResponderExcluir
  3. Que lindo e comovente e tomara mais pessoas tivessem atitudes assim...beijos,chica

    Aqui , continuamos curtindo a ORNELA e ela há 10 dias, ficou VOVÓ ORNELA de 8 netinhos,rsrs

    ResponderExcluir
  4. Lindíssima história e um exemplo maravilhoso de que adotar animais adultos só faz bem. Adorei!

    Beijos, Néia

    ResponderExcluir
  5. Que linda a historia...

    Feliz Ano Novo amiguinhos...

    Beijos da Rubi!!!

    ResponderExcluir
  6. OI PEPI!
    ADOREI A HISTÓRIA QUE LI, SUA MAMÃE E PAPAI SÃO ESPECIAIS, ADOTAR E AMAR UM CAÕZINHO JÁ ADULTO E DOENTE SÓ PESSOAS COM UM CORAÇÃO MUITO GRANDE O FAZEM.
    LAMBEIJOS DA CANDY.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. obrigada por tantos elogios!!!
    fico feliz por ter gostado da Lana e do meu blog :)



    historia linda!!sinto muito pelo anjinho!!!!
    é muuito ruim quando perdemos eles!!!!
    ^^
    nem me imagino sem a Lana!é muito triste!!!

    bjoooos

    ResponderExcluir
  8. Que história linda e um belo exemplo que deveria ser seguido. Também me emocionei com a história, tenho certeza que durante este ano que passou com a família o Bordeaux conheceu a felicidade. Eu adotei a Luna já adulta e ela está comigo desde 2000, felizmente ela já teve muitos anos felizes !
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  9. Linda historia!!
    Sente se a emoção na escrita.

    Feliz 2012!

    Bjs

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba