Amiguinhos Amados

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Bichinhos - Uma comovente história

Amiguinhos mais que amados,
A vóvis voltou mas durante este mês ela e vôvis vão ter que ficar a maior parte do tempo fora do Rio
Obrigada pelos comentários carinhosos e a preocupação para conosco
Logo, logo voltaremos e visitaremos a cada um de vocês para matar as saudades
Não se esqueçam da gente, viu?
Hoje gostaríamos de compartilhar esta comovente história
É sempre bom lembrar que antes de adotar um bichinho é preciso pensar bem, pois um animalzinho requer cuidados, respeito, e muito amor e  uma vez adotado não pode ser descartado jamais
Uma abençoada semana e muitos lambeijinhos e ronrons desejam os amiguinhos
Pepi, Xixo, Juja e Jujuba
                                                       
Numa noite gelada de Dezembro, dois pobres cães vadios procuravam abrigo debaixo de uma grande árvore de Natal erguida no meio de uma praça, com uma vistosa iluminação que podia ser observada até do céu. Debaixo dos ramos da árvore e próximo do calor das lâmpadas fortes, eles conseguiam ter algum conforto, protegendo-se da chuva e do frio intenso.
Disse um dos cães para o companheiro:
— Há quanto tempo andas nesta vida?
— Desde o Verão passado. Os meus donos foram de férias e, como acharam que dava muito trabalho arranjar quem tomasse conta de mim, abandonaram-me. Foi assim que me tornei vadio, embora seja um cão de raça.
— Quer então dizer que é o primeiro Natal que passas na rua?
— Sim, é o primeiro. E tu?
— Para mim já é o terceiro. Eu não sou um cão de raça, sou um vira lata, e tinha uma dona que gostava muito de mim. Eu era a sua única companhia. Um dia ela adoeceu e acabou de morrer.
— E o que foi que te aconteceu?
— Os filhos da minha dona não quiseram ficar com este encargo e puseram-me na rua. Já por cá ando há algum tempo, remexendo no lixo, bebendo água das poças e das sarjetas e fugindo das camionetas da Câmara que trazem homens com redes para nos apanharem.
— Pois olha que eu ainda não me habituei a esta vida e nem sei se alguma vez me habituarei. Ainda estou muito zangado com os meus donos por me terem feito o que fizeram. Pareciam gostar muito de mim, gabavam-se muito da minha beleza e da minha raça, mas acabaram por me abandonar, dizendo aos filhos que alguém me roubou quando eu passeava sem coleira.
— Já ouvi contar muitas histórias como a tua, e olha que cada vez há mais. As pessoas são egoístas e quando nos põem em casa não pensam nas responsabilidades que têm para conosco
— Mas parece que com os gatos isso não acontece, e repara que eu não gosto nada de gatos.
— Estás enganado. Também há muitos gatos abandonados e há alturas em que nos podíamos entender, já que os nossos problemas são os mesmos quando se trata de abandono.
— Então e qual é o teu desejo para esta noite de Natal?
— Para dizer a verdade, o que eu desejava é que estas lâmpadas se transformassem em ossos saborosos e numa refeição quente. Se isso acontecesse, eu até era capaz de acreditar que há um céu para os cães.
Mal ele acabou de pronunciar estas palavras, caíram sobre eles vários ossos e duas latas de comida apetitosa. Ambos se refastelaram com a abundância e com a qualidade da refeição que iria marcar para sempre a memória que ambos guardariam daquela noite de Natal.
Certamente haverá quem diga que nunca as lâmpadas coloridas de uma árvore de rua se poderiam transformar em comida para cães abandonados. Mas também é verdade que os cães não costumam falar, e os desta história, para que nos lembremos sempre da solidão dos que são condenados a tornar-se vadios. Vale esta história para que não esqueçamos os que não têm teto, neste ou nos próximos Natais.
José Jorge Letria
 
 

12 comentários:

  1. queria não existir animais abandonados, famintos pelas ruas. Vamos pedir que isso acabe e as pessoas sejam mais conscientes de suas atitudes.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Nós nunca vamos nos esquecer de vocês, do seu carinho e amizade! Esta história é triste e ao mesmo tempo tem uma mensagem de otimismo para que as pessoas pensem muito antes de abandonar um animal. Tomara que inspire muitas pessoas a viverem até o fim com seus peludinhos!
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
  3. esquecer vcs?nuncaaaa.Linda a historia ameii!

    ResponderExcluir
  4. Comovente essa histórias ! E sentimos saudades quando a vóvis não pode estar aqui, mas é preciso.Entendemos bem e desejamos tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. Nossa, que história comovente, as pessoas deveriam respeitar e cuidar direito dos animais, mas é uma pena que nem todas elas fazem isso.
    Muito boa essa reflexão!

    BJS.

    ResponderExcluir
  6. Ebano: Jujuba! Eu estou no post de hj! Olha eu lá!!!!!!!!

    Mamãe: não demorem a voltar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Linda história dos cães abandonados!
    É triste saber que muitos estão por aí abandonados, sozinhos e tão castigados nas ruas...
    Beijinhos pra vocês!

    ResponderExcluir
  8. Que bonita e comovente essa história,Verena!Tem tantos animais abandonados nessa época de férias!É desumano!Tenha uma boa viagem!Rons rons do Momo,lambeijos da Fadinha e beijinhos da tia Anne!

    ResponderExcluir
  9. Estaremos sempre por aqui! Td de bom pra vcs!
    E que neste próximo ano tenhamos menos animais abandonados nas ruas.

    ResponderExcluir
  10. Que historinha triste... Abandonar animais é um ato horrivel!!!
    Seria tão bom se todos nós fossemos realmente HUMANOS com os animais não é mesmo?!

    E.... não tem como esquecer vocês meus amores!!!!
    Vocês moram no meu coração!!!!

    Super beijinhos e tudo de bom!!!

    ResponderExcluir
  11. Noossa, que historinha triste! =/ mamis queria que as pessoas tivessem um pouco mais de consideração c esses pobres cãezinhos! de raça ou não.... são abandonados do NADA nas ruas... fiko tão triste! =(
    Mas, Fé em Deus para que as coisas mudem....LOGO!
    Sei que tem mts pessoas de bom coração... mas com tantos caes na rua ainda é pouco...

    Estávamos com saudades tb..andaram sumidinhos, heim?!
    Mas nós tb...rs... que bom que voltaram!!!!!!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  12. Chorei.....tenho que acreditar que os humanos estão evoluindo, tenho que acreditar que um dia não maltrataremos mais outras espécies, justificando a gula, o egoismo, a avareza, a ambição!!

    Queridos amiguinhos, nós nunca esqueceremos de vocês, pois vocês moram em nossos corações...

    beijinhos,

    Lígia e turminha
    ╰ღ╮♥⊰✿⊱♥╰ღ╮♥⊰✿⊱♥╭ღ╯

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba