Amiguinhos Amados

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Diferenças de comportamento entre cães e gatos

Vimos na postagem anterior AQUI o comportamento dos gatos.
Agora vamos  ver as diferenças de comportamento entre cães e gatos:
As diferenças já começam aí: enquanto a maioria dos cães é bastante submissa ao dono, os gatos, apesar de reconhecerem seus "senhores", agem de maneira própria, não respondendo de forma tão imediata como os cachorros. Independência é uma palavra que define muito bem o gato: ele atende ao dono se estiver com vontade. Já o cão está sempre pronto a acompanhar a família.
Uma outra diferença entre as duas espécies são os períodos do dia em que estão em plena atividade. Os cães dormem à noite, mas os gatos fazem isso de dia. Os hábitos do gato são muito mais noturnos, assim como fazem os outros felinos na natureza. À noite é o momento de caçar. É claro que um gato doméstico não tem essa necessidade, mas a maioria deles fica mais ativo nos períodos noturnos.
Os gatos, desde filhotes, procuram locais para fazer suas necessidades onde possam enterrá-las depois. Assim, basta deixar uma caixa de areia para gatos à disposição do bichano que ele saberá reconhecer seu sanitário. Já os cães são bem mais "despudorados" e jamais se envergonham de seus dejetos, a menos que sejam repreendidos. Se não forem ensinados, qualquer lugar está bom para eles. Em ambas as espécies, os machos costumam marcar território com a urina. Os cães até podem ser treinados para urinar num determinado local. Já os gatos, dificilmente será possível convencê-los a não demarcar seu espaço, daí a necessidade da castração dos machos. A urina dos felinos tem um odor extremamente forte e persistente, podendo ser detectada à distância, ao contrário do cão.
No caso das fêmeas, também existem diferenças importantes. Ambas só acasalam durante os cios, mas esse período é distinto nas duas espécies. Cadelas têm cios a cada seis meses, eles têm duração de 15 dias e há sangramento na primeira semana. As gatas apresentam cios em intervalos e com duração muito variáveis e nunca ocorre sangramento. As cadelas são extremamente discretas durante o cio, se comparadas as gatas. Estas são difíceis de se manter se não forem castradas, em razão do barulho que fazem durante a época de acasalamento. Elas miam alto para atrair parceiros.
Você já deve ter ouvido a expressão "banho de gato", associada a um banho "mais ou menos" tomado. Os gatos são extremamente limpos e diariamente higienizam seus pelos através da lambedura. Com isso, removem a pelagem velha e eventuais parasitas. Conseguem se manter limpos por muito mais tempo e sem odores. Já os cães... Parecem sentir um imenso prazer em se sujar e alguns adoram se esfregar em lixo, animais mortos e coisas sujas... Experimente dar banho em um cão e solta-lo no jardim. Ele irá esfregar-se na terra imediatamente. A razão dessa preferência dos cães por odores repugnantes a nós humanos é que os lobos, espécie da qual os cachorros descendem, procuravam disfarçar seu cheiro natural, esfregando-se em carniça de outros animais. Isso facilitava na hora de caçar, pois a presa não conseguia farejá-los. A herança genética continuou nos cães e muitos ainda fazem isso, para desgosto dos donos, que os preferiam cheirando à lavanda... Cachorros não gostam, mas toleram o banho. Gatos abominam a água!
No quesito alimentação, os felinos são exigentes e não comem qualquer coisa. Sua dieta deve ter altos níveis de proteína, daí a ração de gatos ser bem mais palatável que a dos cachorros. Estes, por sua vez, adotariam a mesma dieta de seus donos, se lhes fosse permitido. Algo nada recomendável. Para um cachorro, todos os alimentos são ótimos, por isso, é muito mais comum um cão sofrer uma intoxicação alimentar do que um gato. Os felinos cheiram o alimento e o analisam, depois o ingerem mastigando os pedaços. Os cães são afoitos e na primeira cheirada já abocanham a comida e não mastigam, engolem em pedaços grandes. Os cães comem exageradamente, enquanto os gatos, apenas o suficiente.
Embora existam tantas diferenças entre essas espécies, ambas são ótimas como animais de estimação. É preciso apenas compreender e respeitar o comportamento de cada uma delas, para que a convivência com o homem seja tranquila e sem frustrações. 
SILVIA C. PARISI - MÉDICA VETERINÁRIA




6 comentários:

  1. oi Ve

    Sempre tive preferência por cães e não por gatos.

    Um doce fds pra vc =)

    ResponderExcluir
  2. Os comportamentos devem ser bem diferentes,eu nunca tive gatos,mas devem ser bem fofos.
    bjs Verena.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. São diferentes, e muito. Mas ambos são fofos!!! Amo os dois!

    ResponderExcluir
  4. A minha avó materna gostava de animais. em sua casa não podiam faltar gatos e cachorros. E ela tinha um cuidado todo especial. São bichinhos amorosos, se bem que os gatos são mais ariscos.
    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Verena!
    Estou com um cãozinho bebê e acho que ele pensa que é gato. Acho que não, eu que penso que ele é um gato travestido de cão. Ele sobe nos lugares mais altos e depois fica com medo de descer. Não faz as necessidades perto de qualquer pessoa e come muito devagar. Tenho que deixar a ração à disposição pois ele passa horas mastigando. Se acalma somente quando ouve música e agora são 03:30hs e ele esta escondendo os brinquedos entre as almofadas do sofá. Posso estar criando ele errado, afinal, é o primeiro cão de porte pequeno que tenho e já tive muitos cães maiores e também gatos. Vou arrumar uma caixinha de areias para fazer um teste! (rs*)
    Bom fim de semana!!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  6. Como são interessantes essas diferenças! Essa história de rolar na grama é mesmo muito comum: a Fadinha AMA fazer isso!...rss...adorei a postagem! bjs,

    ResponderExcluir

Volte Sempre
Lambeijos e Ronrons
Pepi,Xixo,Juja e Jujuba