Amiguinhos Amados

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Bichinhos - Xixo vai para a "night"!!


Olá Miaumiguinhos,
Como disse a nossa miaumiguinha Chica, depois de um calor sufocante, daqueles do inferno se sentir envergonhado, agora até que enfim está caindo aquela chuvinha. Como eu pretendo sair para dar umas voltinhas, nada como um guarda chuva grandão para me proteger...
Não comentem com "meu mãe", é segredo, mas hoje vou para a "night"... hihihi. Depois eu conto como foi!!
Uma Boa Noite para todos!
Ronrons do
Xixo

Bichinhos - O Selinho vai para o Blog:"Lindos Selinhos"

Oulá Aumiguinhos,
Espero que gostem deste Vídeo
Lambeijos do
Pepinho


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Bichinhos - Selinhos e mais Selinhos!!!



Aumiguinhos,
Ganhamos estes lindos Mimos do Blog Cães e Focinhos.
A homenagem vai para:
Chica
Neno
Valentina
Lis
Luli Alves
Luna
Dudinha, Nariz de Bolinha
Lambeijos e Ronrons do
Pepinho e do Xixo


Bichinhos - Uma homenagem


Aos amigos fieis:

“Os espinhos podem magoar-te,os homens podem abandonar-te, a luz do Sol pode transforma-se em nevoeiro, mas nunca ficarás sem um amigo se tiveres um cão” – Douglas Mallock

  • Hachi– Virou símbolo de lealdade no Japão por esperar durante anos o dono que morreu no trabalho.
  • Greyfriars BobbySkye terrier velou o túmulo do seu dono todas as noites por14 anos.
  • Old Shep – Border Collie, ficou famoso por manter vigília por 5 anos na estação de trem onde viu o caixão de seu dono sendo embarcado.
  • Bobbie, O cão maravilha – ficou conhecido assim quando, após se perder de sua família em uma viagem, achou o caminho de volta para casa andando mais de 2800 milhas sozinho.
  • Banana, o benevolente – mestiço de Lulu da Pomerânia, ficou famoso ao alertar sua família de um incêndio salvando a vida de todos eles.
  • Heidi – Jack Russell Terrier, desceu um penhasco de mais de 150 mestros de altura para junto do corpo de seu dono que morreu escalando na Escócia em 2001 , Heidi guardou o corpo por vários dias até o resgate chegar.

Aos cães soldados :

  • Bamse – São bernardo, foi símbolo das “Forças livres da Noruega” durante a Segunda guerra Mundial.
  • Chesty – Buldogue inglês, virou mascote da marinha americana em Washington-DC.
  • Chips – Cão heroi de guerra, foi um dos mais condecorados cães militares após Segunda Guerra mundial.
  • Horrie the Wog Dog – Foi encontrado no Egito por soldados australianos e salvou muitas vidas de soldados durante a Segunda Guerra mundial.
  • Judy – Acompanhava navios da marinha real britânica durante a guerra, ficou famoso como o único animal feito prisioneiro de guerra pelos japoneses. Recebeu a medalha Dickin em 1946.
  • Just Nuisance – Este cão foi o único cão militar oficialmente alistado como membro da marinha real britânica, quando morreu em 1944 foi enterrado com honras militares.
  • Lava – Foi encontrado filhote em Bagdá durante a guerra do Iraque em 2005, foi adotado pelo soldado americano Jay Kopelman e ficou famoso após publicação do livvro “Com amor, de Bagdá”
  • Sergeant Stubby – Cão militar mais condecorado da história, serviu durante a Primeira Guerra Mundial e era mascote da universidade de Georgetown.
  • Smoky – Cão heroi da Segunda Guerra Mundial, um yorkshire terrier que serviu com a força aérea, participou de mais de 12 missões de combate.

Aos cães que cuidaram de nós:

  • Buddy – Fêmea de pastor alemão, foi o primeiro cão-guia de cegos treinado nas Americas.
  • EndalLabrador, cão de assistência, foi eleito o “cão do milênio”, salvou a vida de seu dono após um acidente

Aos cães que nos salvaram:

  • Balto – Cão de trenó, Husky siberiano, ficou famoso por liderar uma matilha de cães em 1925 durante a fase final da “corrida do soro” que levava um soro para combater uma epidemia de difteria no Alasca.
  • Barry – O mais famoso dos São Bernardos, Salvou a vida de mais de 40 pessoas na neve nos Alpes.
  • MancsCão de resgate na Hungria, ficou famoso pelo número de pessoas que salvou.
  • Togo – Husky siberiano, Foi o cão de trenó que liderou, durante a parte mais longa do percurso a matilha de cães que levava o soro para combater a epidemia de difteria no Alasca.

Aos cães austronautas:

  • Laika – Fêmea mestiça de Husky siberiano, foi o primeiro animal a entrar em órbita a bordo do Sputnik 2.
  • Strelka – Fêmea mestiça, foi ao espaço a bordo do Sputnik 5 e retornou sadia, Strelka e Belka foram os primeiros animais a ir ao espaço e retornar a Terra. Um dos filhotes que Strelka teve após retornar da sua missão espacial foi dado de presente a Caroline Kennedy, pelo premier Soviético Nikita Khrushchev.
  • Belka – Fêmea mestiça, foi ao espaço a bordo do Sputnik 5 e retornou sadia Strelka e Belka foram os primeiros animais a ir ao espaço e retornar a Terra.

Aos cães atletas:

  • AshleyWhippet, o primeiro ( e considerado o melhor ) cão treinado para campeonatos de frisbee, três vezes campeão do “Canine Frisbee Disc World Championships”, foi muito famoso durante a década de 70.
  • Mick the Miller, Greyhound de corridas, foi o primeiro cão a ganhar o English Derby em anos consecutivos e o primeiro a bater o recorde de 525 jardas em menos de 30 segundos.

Aos cães ficticios:

  • Lassie – Personagem interretado por cães da raça collie. Particiou de séries de TV, rádio, filmes e livros desde a década de 30.
  • Rin Tin Tin – Persongem interpretado por vários pastores alemães na TV americana e em diversos filmes. O verdadeiro Rin Tin Tin foi encontrado abandonado na França durante Primeira Guerra Mundial e adotado por um soldado americano que o levou para os EUA após o final da guerra, onde o Rin Tin Tin foi treinado e começou a fazer filmes, ganhando seu próprio programa na TV.

Aos cães grandes e pequenos:

  • Sylvia – Yorkshire Terrier foi o menor cachorro da história, ela morreu em 1945 com dois anos de idade e com 6,35cm de altura.
  • Danka Kordak Slovakia – Chihuahua de pêlo longo, é o menor cão vivo atualmente com de 13,71cm alturade acordo com o Guinness Book.
  • GibsonDogue alemão considerado o cão mais alto vivo atualmente, com 1metro e 7cm de altura segundo o Guinness Book.
  • Zorba de la-Susa, Mastiff inglês, considerado o cão mais pesado do mundo de acordo com o Guinness Book. Ele tem oito anos e pesa mais de 155kg. Zorba também é considerado o cão mais comprido do mundo.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Bichinhos - Xixo mudou de ideia!!!


Miaumiguinhos,
Fiquei pensando muito esta noite. Que "mico", eu, Lord Xixo, não gostar de banho... O que minha linda miaumiguinha Kika vai dizer de mim?
Então, como hoje está muito calor, resolvi me refrescar também!!!
Hihihi, é super legau!!! É friozinho e molhado...Miau!!
Ronrons para todos
Um bom dia!!!
Lord Xixo

domingo, 25 de abril de 2010

Bichinhos - Testamento do Pepinho


Minhas posses materiais são poucas:

e eu deixo tudo para você ...

Uma coleira mastigada em uma das extremidades,faltando dois botões, uma desajeitada cama de cachorro e uma vasilha de água rachada na borda.

Deixo para você a metade de uma bola de borracha, o meu milho de borracha,
uma boneca rasgada que você vai encontrar debaixo da geladeira, um ratinho de borracha sem apito.
A minha "caverna" que fica debaixo do nosso tanque, na área de serviço
A minha "estrelinha" verde que eu amava muito...

Alem disso, eu deixo para você a memória, que aliás são muitas:

Deixo para você a memória de dois enormes e meigos olhos cor de mel, de um nariz molhado e de choradeiras atrás da porta.Deixo para você a memória de como adorava ficar na sua cama fofinha, só te admirando e tomando conta de você...

Deixo para você uma mancha no tapete da sala de estar
junto à janela, quando nas tardes de inverno
eu me apropriava daquele lugar, como se fosse meu,
e me enrolava feito uma bolinha para pegar um pouco de sol.

Deixo para você um tapete esfarrapado
em frente da sua cadeira preferida, o qual nunca foi consertado com o tipo de linha certo....isso é verdade.
Eu o mastiguei todinho, quando ainda tinha cinco meses de idade, lembra-se?

Tambem deixo para você as memórias da primeira bronca que levei quando comi seu celular
e também todo o meu esquecimento ...

Também deixo para você aquela nota de cinquenta reais que mastiguei todinha
e tambem as minhas sinceras desculpas...

Deixo ainda a lembrança da minha "nana"(banana) que devorava, pela manhã


Deixo ainda a lembrança de momentos pelas manhãs,
quando saiamos juntos pelas ruas do nosso bairro e você comprava carninha moída para mim

Recordo-me das suas risadas, porque eu tinha pavor daquele gato que pertencia ao jornaleiro
Deixo-lhe como herança minha devoção, minha simpatia, meu apoio quando as coisas não andavam bem, meus latidos quando você levantava a voz aborrecida...
Quero que saiba, que tenho um imenso amor por você e continuarei te protegendo sempre...
Pepinho

sábado, 24 de abril de 2010

Bichinhos - "Xixos" - Seres de Luz



Tem Selinho em homenagem a todos os "nossos" miaumiguinhos queridos!!!!

Ronronterapia


Gatos têm poderes terapêuticos, aliviam o stress, a ansiedade e evitam até doenças cardíacas
Verônica Mambrini


Perseguidos em diferentes épocas e vítimas históricas de preconceito, os gatos estão ganhando absolvição por meio de um papel inesperado: o de terapeutas. Em seu recém-lançado livro “La Ronron Thérapie”, a jornalista francesa Véronique Aïache explica, devidamente ancorada por trabalhos científicos, como o convívio com um bichano pode melhorar a vida das pessoas. Ela relata, por exemplo, pesquisas como a do veterinário francês Jean-Yves Gauchet, que testou o poder do ronrom – o som emanado pelos gatos quando estão em repouso – em 250 voluntários, submetidos a uma gravação de 30 minutos do ruído de Rouky, o gato do veterinário. Ao fim do estudo, os participantes declararam sentir mais bem-estar, serenidade e uma facilidade maior para dormir. O poder tranquilizante dos felinos foi o porto seguro da gerente comercial Cris Sakuraba, 46 anos. “Não desmerecendo o medicamento, mas minha gatinha mudou minha vida”, diz. Cris sofria de ansiedade, stress, depressão e agorafobia (medo de espaços abertos ou aglomerações), doenças que estavam minando sua qualidade de vida.“Agora estou 95% curada dos problemas.” A gatoterapeuta Marisa Paes afirma que é capaz de fazer até quem não gosta dos bichanos se beneficiar da presença deles. “Mesmo quem tem medo de gato me procura. Comigo como mediadora, a pessoa vai se desbloqueando”, afirma.
Os tratamentos terapêuticos envolvendo animais começaram a ser desenvolvidos no Brasil no começo da década de 50, pela psiquiatra Nise da Silveira. O tratamento foi uma alternativa com resultados palpáveis às terapêuticas agressivas, como lobotomia e eletrochoque. “Com o gato ronronando no colo, por exemplo, a pessoa desacelera, pois ocorre a mudança de frequência das ondas cerebrais do estado de alerta para o relaxamento”, diz Hannelore Fuchs, doutora em psicologia e especialista na relação do ser humano com o animal. Faz sentido. A frequência do ronrom é entre 25 e 50 hertz, a mesma utilizadas na medicina esportiva para acelerar cicatrizações e recuperar lesões. No ano passado, a gigante de tecnologia Apple lançou em parceria com o veterinário Gauchet um aplicativo para iPhone que usa o ronrom para amenizar os efeitos que a diferença de fuso horário em viagens provoca. Um estudo de 2008 da Universidade de Minesota, nos Estados Unidos, mostrou que um bichano em casa reduz em até 30% o risco de ataque cardíaco, por ajudar a relaxar e aliviar o stress. Só não pode ser alérgico a pelos.


sexta-feira, 23 de abril de 2010

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Bichinhos - Mosaico dos Bichinhos!!

Aumiguinhos Aumados!!

Vocês gostaram do nosso Mosaico?
O Pepi me deu a idéia e Eu, Xixo, ajudei o "nosso mãe" a fazer...
Todos os aumiguinhos podem participar, é só pedir para o mãe de aucês, para enviar uma fotinha!!
Vamos miaudolar...
Lambeijos e Ronrons
Pepi e Xixo

segunda-feira, 19 de abril de 2010

domingo, 18 de abril de 2010

Bichinhos - Obaaa tem selinhos!!!

Ganhamos estes selinhos lindos, do Blog http://caesefocinhos.blogspot.com/
Oferecemos estes mimos para :
Sonia Silvino(nossa Dinda Amada)
Aumigão Bidu
Graça(o mãe da Kika)
Miaumiguinha Kika,
Regina Guedes,
Anne Lieri,
Nariz de Bolinha,
Rosa Carioca,
Flor de Lis e
Angela

Bichinhos - SACO MESMO É SER GATO !!!


Desabafo do Xixo


Gente complicada é um saco de gatos!
Mas o maior saco é ser gato!
Principalmente sem raça
Dizem que gato dá azar,
mas o grande azar é ser gato!
De dia a "gente" se esconde
da paulada, da pedrada, do atropelamento,
do "pega prá capá",
do balde d'água, da vassoura,
e até de um outro gato
que corre pro nosso lado
fugindo das mesmas coisas!
À noite, como diz o provérbio,
"Todos os gatos são pardos".
Então, a "gente" se arrisca
e põe a cara prá fora :
às vezes viramos presunto
quando não viramos churrasco !

De fato nós temos um jeito
até muito humano de ser.
E que culpa temos disso ?
Malícia, desconfiança,
muita personalidade,
atração pelo conforto,
preguiça, instabilidade de humor,
muito afeto reprimido pelo medo
e muita vontade de sermos amados.

Se eu fosse gente,
eu adotaria um gato .
E como gato,
eu adorei "adotar" alguém!
Mas, infelizmente,
quase todos ainda pensam
que gato é um saco.

MAS SACO MESMO É SER GATO !!!

sábado, 17 de abril de 2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Bichinhos - A Linguagem do Pepinho!!


Quando se está aprendendo uma língua nova, num primeiro momento consegue-se entender algumas palavras, depois, frases inteiras e, só quando essa compreensão se torna fluente, arrisca-se pronunciar algumas palavras conhecidas e, somente mais tarde, adquire-se a capacidade de construir frases.

A capacidade de compreender a linguagem precede a habilidade de produzir sinais para comunicar-se, que é um nível superior da lingüística.

Nos cães, a habilidade perceptiva da linguagem é muito boa. Essa habilidade perceptiva pode ser notada quando há uma resposta adequada a palavras pronunciadas. As ações conseqüentes dessas palavras determinam o grau de compreensão de cada cão. O nível de treinamento canino corresponde, mais ou menos, ao grau de cultura ou ao nível de escolaridade no ser humano.

Os comandos de adestramento

Gritar com um cão é, praticamente, admitir que ele não ouve quando falamos baixo. O ouvido canino percebe uma faixa de freqüência sonora bem mais ampla que a nossa. Os tons apreciados pelos sensíveis ouvidos caninos são os suaves e baixos. Eles gostam imensamente de música suave.

Quem fala alto com seus cães e os comanda militarmente obtém efeitos de frustração e uma resposta muito limitada.

Vejamos as palavras mais comuns usadas com os cães.

Banho! - alguns cães ficam felizes, outros se escondem.
Beijo! - o cão lambe o nosso rosto.
Biscoito? - o cão entende que vai ganhar um biscoito.
Bota a cabecinha aqui! - a reação é deitar a cabeça no colo para receber um afago.
Busca! - o cão sai animado para pegar um objeto arremessado longe.
Cadê a barriguinha? - o cão vira a barriga prá cima para deixar-se acariciar.
Cadê a bolinha? - o cão vai procurar sua bolinha ou qualquer outro brinquedo que ele goste.
Cadê fulano? - o cão sai procurando alguém que ele muito gosta.
Cala boca!!! - o cão pára de latir.
Calma! - estímulo neutro usado quando o cão está agitado.
Canil! -
o cão entende que deve ir para o seu canil.
Coleira! - o cão reage erguendo a cabeça para permitir a colocação da coleira.
Colo! - o cão sobe com as patas nas coxas, para receber carinho.
Cuida! - o cão (de guarda) fica alerta tomando conta da pessoa indicada.
Dá licença! - (quando um cão está no caminho, por exemplo, deitado no corredor) faz o cão levantar-se, para a gente passar.
Dá a pata! - o cão ergue a pata e a coloca na nossa mão.
Deita! - o cão assume a posição deitado.
Desce! - o cão desce a escada ou rampa à sua frente; desce de algum lugar mais alto.
Dick! (Nome do cão): com a repetição, cada cão passa a atender pelo seu nome para aguardar instruções.
Em pé! - o cão fica sobre duas patas.
Fica! (acompanhado de gesto manual): faz o cão permanecer em determinado local.
Junto! - o cão assume a posição sentado, do lado esquerdo, junto à coxa.
Larga! - o cão abre sua boca e solta o que estiver segurando.
Me dá! - o cão relaxa a pressão sobre o objeto que estiver segurando na boca para que possamos retirá-lo.
Muito bem!, Bonito! - é um estímulo positivo que proporciona felicidade, provocando a abanação da cauda.
Não! - o cão interrompe toda e qualquer ação.
Para trás! - usado no carro, quando se quer que o cão passe do banco da frente para o de trás.
Pára! - o cão interrompe o que estiver fazendo.
Passa fora! - quando a gente quer que o cão vá embora.
Prá dentro!, Entra! (acompanhado de gesto manual): o cão entra para o ambiente apontado.
Procura! - o cão segue o odor indicado. O cão procura alguma coisa, que foi escondida.
Pssiu! - o cão pára de latir.
Pula! (acompanhado de gesto manual): o cão salta por sobre o objeto ou obstáculo indicado.
Quietinho! - estímulo reforçador para incentivar o cão a permanecer tranqüilo durante uma escovação, por exemplo, para superar um momento de desconforto.
Senta! - o cão assume a posição sentado.
Sentado! (acompanhado de gesto manual): o cão assume a posição “sentado” sobre as patas posteriores.
Sobe! - o cão sobe a escada ou rampa à sua frente. Sobe para algum lugar mais alto.
Toma! - o cão sabe que vai ganhar um petisco.
Vamos passear? - o cão começa a pular e rodar em volta de você e vai para a porta aguardar os acontecimentos.
Vamos prá piscina? - o cão fica excitadíssimo e começa a pular para ir mais rápido. Chegando lá, pula dentro direto.
Vem! - utilizada para convidar o cão a um passeio; ou ao caminhar, incentiva o cão retardatário para que se junte a nós.
Vem cá! - o cão sai de onde estiver e vem para junto.
Vem enxugar! (acompanhado da apresentação da toalha): o cão começa a fungar, espirrar e se esfregar na toalha esperando ser enxugado depois do banho ou de uma voltinha na chuva.
Vem limpar o ouvido! - o cão chega de mansinho e encosta a cabeça no joelho para permitir a limpeza do ouvido... (em geral os cães adoram essa frase, chegam até a gemer de prazer).
Vombora! -
o cão já sabe que vamos sair com ele.

Existem, entretanto, inúmeros gestos e ruídos que os cães reconhecem, às vezes, melhor do que palavras: apanhar a coleira; pegar as chaves do carro; o desembrulhar; o som da cumbuca quando se começa a preparar a comida; dar rápidos e repetidos tapinhas na coxa; bater palmas e estalar os dedos.

Os cães são capazes de compreender até diálogos inteiros sobre assuntos de seus interesses sem que seja necessária a compreensão do significado específico de cada palavra.

Bater na coxa, por exemplo, é um gesto que quase todas as pessoas fazem para chamar seus cães tendo a mais absoluta certeza que virão sem, sequer, saber por que esse gesto tornou-se universal, no diálogo com eles.

Vamos tentar explicar: quando você chama seu cão pelo nome, pela maneira que você pronunciou, ele sabe se você está alegre, feliz ou aborrecido. Quando você o chama, dando repetidos tapinhas na coxa, está fazendo o mesmo ritual do rabinho abanando... ele sabe que você está feliz e vem correndo.

Se você der uns tapinhas no sofá ele virá correndo para o sofá. Se, depois der uns tapinhas numa mesinha baixa ele, por associação, subirá na mesa. Dessa forma ele aprendeu que, dar tapinhas num plano mais alto, é para subir.

São gestos que levam você, inconscientemente, a transmitir seus desejos a seu cão. Quantas vezes, vendo que você está triste, seu cão vem e deita-se a seu lado em silêncio ou se você está chorando, lambe seu rosto? Quantas vezes, vendo que você está aborrecido, seu cão vai, mansamente, para um canto da casa e fica quietinho?

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Bichinhos - Xixos inteligentes!!!



NOVA YORK - Um gato pode reconhecer a fisionomia de uma pessoa mais rápido que um supercomputador. Pensando nisso, pesquisadores da Universidade de Michigan estão usando o cérebro dos felinos como o principal modelo na construção de um computador inspirado nas funções biológicas do ser humano.

O engenheiro Wei Lu, que coordena o projeto, afirma que a supermáquina seria capaz de aprender, reconhecer pessoas e tomar decisões mais complexas que os computadores normais. Lu criou um "memrístor", uma espécie de substituto para um transístor que funciona da mesma forma que uma sinapse do cérebro. O "memrístor" consegue reconhecer as voltagens pelas quais já foi submetido e pode funcionar como uma espécie de memória nos circuitos tradicionais.

- Queremos construir um computador da mesma forma que a natureza cria um cérebro de um mamífero. A ideia é usar um paradigma completamente diferente. Construir algo similar ao cérebro do gato é uma meta mais realista, já que seu cérebro é bem mais simples que o cérebro humano - afirma Lu, professor do Departamento de Engenharia da Universidade de Michigan.

Os supercomputadores já criados conseguem cumprir certas funções que se assemelham ao cérebro do gato. Mas eles costumam ser máquinas gigantescas, com mais de 140 mil unidades de processamento dedicadas somente à geração de energia. E, mesmo assim, funciona de forma 83 vezes mais lenta que o cérebro do felino. No computador convencional, funções de lógica e memória ficam localizadas em partes diferentes do circuito e funcionam de forma linear. Por isso, a execução de funções acaba ficando limitada. O cérebro dos mamíferos, no entanto, consegue exercer diversas funções simultaneamente ou paralelamente. É por isso que reconhecem um rosto com tanta facilidade.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

Bichinhos - Como lidar com bichinhos ciumentos


Bichinhos- O que o bichinho precisa para ser feliz


Muita gente pensa que para um cachorro ser feliz basta dar água, comida e um pouco de carinho.
No entanto é um pouco mais do que isto:

CHEIROS – O cachorro se utiliza deste artifício para conhecer tudo que o envolve e ao ambiente. Enquanto o ser humano tem cerca de 5 milhões de células olfativas, o cachorro possui 220 milhões de “receptores de cheiro.” Através do cheiro que o cachorro deixa pelo caminho no xixi, o próximo bichinho que por lá passar vai saber todas as características do anterior, como idade, sexo, tamanho. Digamos que o cheiro é algo como o RG do animal. Por isso, donos e donas conscientes, não se envergonhem quando seus cachorros se encontrarem pela rua e um começar a cheirar o bumbum do outro. Nada de puxar a guia dando bronca, eles estão apenas se conhecendo, pois nesse lugar existe uma glândula que os apresenta pelo cheiro. Esta cheirada deles seria considerada o nosso aperto de mãos.

CAMINHADAS – Também conhecidas por passeios, é essencial para a socialização, saúde e tudo mais de positivo que seu cachorro possa precisar. De preferência técnica utilizada com alguns acessórios como coleira, guia e saquinho de catar cocô. Os passeios diários com seu animal podem se transformar numa incrível fonte de prazer, pois através desses passeios você conhece melhor seus vizinhos, acaba conhecendo gente interessante na rua, faz amizades mais facilmente. Outro fator muito importante é que com passeios frequentes, o cachorro não cria aquela neurose de latir pra qualquer coisa, não fica com medo de barulhos diferentes, se acostuma a todos os tipos de estímulos externos sem traumas.

COMIDA – Bem, o seu bichinho vai comer a ração que você fornecer e mais tudo que ele conseguir roubar, como as tiras do chinelo, o plástico que envolvia aquela carne, meias recentemente utilizadas, etc. Ok, é brincadeira, mas se transforma num assunto sério quando em exagero. Já vi um Bull Terrier que teve que fazer uma cirurgia e o veterinário tirou coisas inacreditáveis do estômago dele. Imagino que qualquer outra raça teria morrido nessas circunstâncias. Mas é vital uma ração de boa qualidade, assim como a quantidade certa descrita na embalagem. Não coloque alimento de gente misturado na ração, a não ser que o veterinário mande. Existem alimentos para o nosso consumo que os animais não conseguem digerir direito, causando aquelas fezes moles e problemas estomacais. Por exemplo, o chocolate tem uma substância altamente tóxica para cães.

DESCANSO – Um filhote precisa dormir em média 17 horas por dia. Após as brincadeiras o descanso é fundamental para o cão. Após longas caminhadas também. Devemos respeitar a hora do ronco dos cães, para nossa própria segurança. Os cães, diferente do que muita gente pensa, sonham. Normalmente esses sonhos são com caça e caçadores, presas, brincadeiras e coisas do dia a dia do animal. Já vi acontecer do cachorro dormir, provavelmente sonhar que estava sendo perseguido ou estava perseguindo algo, e o dono desavisado resolver incomodar o animal naquela hora. O dono tomou uma mordida que deu pena, mas não foi por maldade do cão, era como se o sonho estivesse acontecendo. Quantas vezes já vimos crianças fazerem xixi na cama por sonharem que estavam fazendo xixi. Bem, o descanso do Bichinho faz parte de seu bem-estar e da sua saúde. Vamos deixá-los dormir o sono dos justos.

SUSTOS LEGAIS – Geralmente o bichinho adora espantar pássaros ou qualquer outro ser miniaturizado que se manifeste de maneira esquisita quando chega correndo perto dele.

RECOMPENSA – Sempre que o seu cão fizer algo legal, recompense-o no momento exato. O cão não sabe o que é certo ou errado, mas sabe que se for recompensado é porque é a coisa certa a ser feita. Tudo que ele quer é agradar ao dono, apenas mostre a ele como fazer isso. Como? Carinho, petisco e demonstrações de afeto em geral. Eles adoram receber presentes desse tipo.

BUSCAR COISAS – Tudo que meu dono jogar, inclusive a roupa suja no cesto e as meias novas. É sério, depois que um cachorro aprende a buscar as coisas vocês terão diversão garantida por horas a fio. Bolinhas e brinquedos menores são geralmente os preferidos.

SER – Ser cuidado, ser tratado, ser alimentado, ser acompanhado, ser o cachorro dos seus sonhos, ser o centro das atenções. O animal adora ser e estar, participando de tudo que rola ao seu redor, fazendo parte da matilha (sim, humanos, somos a matilha). Essa é com certeza uma maneira de deixar o cão feliz, deixá-lo nos acompanhar nos eventos do dia a dia como levar as crianças pra escola, ir buscar, comprar o pão de manhã, levar nas atividades da família à tarde, etc.

ESTAR – Estando na companhia das pessoas que ele confia... Ele está feliz.

O que o faz muito mais feliz? Ser tratado como cachorro, ou seja, um animal muito sociável, que faz parte de uma matilha – sua família – e precisa de uma hierarquia para entender as regras básicas de sobrevivência na sua casa. Quando ele define quem é o líder – faça o possível e o impossível para ser você, mas com justiça, não violência – a vida em família/matilha, fica super tranquila.

Para entender o cachorro temos que tentar pensar como ele. Ele gosta de coisas diferentes de você, assim, respeite suas necessidades de cachorro, sua forma de pensar, de agir, de se alimentar. Quando você começa a entender o que seu cachorro espera de você, tudo fica mais fácil e gostoso.

O treinamento básico é fundamental para estimular e melhorar o relacionamento entre os donos e seus cães. Claro que sempre com a participação efetiva do dono. O treinamento com carinho, recompensa e participação do dono não tem como dar errado, e o cachorro fica super feliz de poder demonstrar pro dono que o entende e obedece. Acima de tudo ele o respeita por amor, não por medo. Depois de um treinamento básico vocês se entendem muito melhor, e o relacionamento fica cada dia mais gostoso. Vocês abrem uma linha de comunicação mútua, aumentando sempre a confiança de um no outro. Quando existir essa comunicação, tudo fica mais fácil.

Seja um dono justo para o seu cão. Quando você briga com ele por um motivo real, ele entende e não fica chateado com o dono. Ele descobre que errou e, se for repreendido da maneira correta, no momento certo, vai tentar acertar na próxima. Da mesma maneira, não esqueça de elogiar bastante sempre que possível. Isso fará de você o dono que ele espera, aceita, respeita e ama como líder.

Passeios, brincadeiras e exercícios devem fazer parte da rotina do animal. A rotina é outra coisa que para nós pode incomodar, mas para o seu cão significa a segurança que ele precisa. Uma rotina definida faz um cachorro feliz, e mudar a rotina é muitas vezes motivo de stress.

AMOR – Essa talvez seja a palavra-chave, a mais importante na vida de um cão. Ele nos dá o amor na sua forma mais pura. Se você for um dono responsável, carinhoso, justo e que transmite confiança ao seu animal, terá como retorno a forma mais linda e incondicional de amor, o amor de um cão, onde basta amar para ser amado. Cachorro cansado é cachorro feliz. Curta ao máximo a companhia maravilhosa de um cão saudável e feliz. Assim você será feliz junto com ele.


segunda-feira, 12 de abril de 2010

domingo, 11 de abril de 2010

Bichinhos - Dodói 2!!


Oulá,
O "Nosso Mãe" tá se recuperando. Ela está com dodói na coluna. O titio médico, falou que ela tem que fazer repouso!! e tomar os remédinhos. Eu, Pepinho, estou de vigilia auki na Ponte e o Xixo, não desgruda dela um minuto... Estamos cuidando "do nosso mãe"direitinho...viu?
Hoje viemos também para agradecer, agradecemos
a todos vocês nossos aumiguinhos e aumiguinhas do nosso Blog!
agradecemos pelo carinho, pela amizade,
pelas lindas mensagens que nos enviam,
e por estarem todos os dias aqui conosco,
agradecemos pelo imenso amor e dedicação
que Vcs deixam transparecer atravéz desta
telinha...Por tudo isso somos gratos, e muito
gratos mesmo...Por sua linda Amizade.
Queremos agradecer também a DEUS por
ter colocado " AUCÊS" seres maravilhosos, na nossa vida!!
Lambs e Ronrons
Pepi e Xixo

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Bichinhos - Dodói!!


Aumiguinhos quilidos,
"Nosso mãe" tá dodói e não pode nos ajudar nas postagens!!!
Quando ela melhorar voltaremos!!
Já tamos com saudades!!
Lambeijos e Ronrons
Pepinho e Xixo

terça-feira, 6 de abril de 2010

Bichinhos - Uma homenagem ao Xixo!!!


SIMPLESMENTE GATOS!
Arthur da Távola

Bichinhos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso…nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece.

O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis.

Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu.
Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado?
Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo?

Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula.

Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso.

“Falso”, porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser.

O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio e espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer.
Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.

Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.

Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência.

Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.

O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta.

Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe “ler” pensa que “ele não está ali”. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.

O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber.

Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas.

O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!

Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo ( quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.

O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo.

Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio.Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.

Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.

O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Bichinhos - Encontrei o seu cão...


Hoje encontrei seu cão. Não, ele não foi adotado por ninguém. Aqui por perto, a maioria das pessoas já têm vários cães; aqueles que não têm nenhum não querem um cão. Eu sei que você esperava que ele encontrasse um bom lar quando o deixou aqui, mas ele não encontrou. Quando o vi pela primeira vez, ele estava bem longe da casa mais próxima e estava sozinho, com sede, magro e mancava por causa de um machucado na pata.

Eu queria tanto ser você naquele momento em que parei na frente dele. Para ver sua cauda abanando e seus olhos brilhando ao pular nos seus braços, pois ele sabia que você o encontraria, sabia que você não esqueceria dele. Para ver o perdão em seus olhos pelo sofrimento e pela dor por que ele havia passado em sua jornada sem fim à sua procura... Mas eu não era você. E, apesar das minhas tentativas de convencê-lo a se aproximar, seus olhos viam um estranho. Ele não confiava em mim. Ele não se aproximava.

Ele virou as costas e seguiu seu caminho, pois tinha certeza de que esse caminho o levaria a você. Ele não entende que você não está procurando por ele. Ele só sabe que você não está lá, sabe apenas que precisa te encontrar. Isso é mais importante do que comida, água ou o estranho que pode lhe dar essas coisas.

Percebi que seria inútil tentar persuadi-lo ou segui-lo. Eu nem sei seu nome. Fui para casa, enchi um balde d'água e uma vasilha de comida e voltei para o lugar onde o havia encontrado. Não havia nem sinal dele, mas deixei a água e a comida debaixo da árvore onde ele havia buscado abrigo do sol e um pouco de descanso. Veja bem, ele não é um cão selvagem. Ao domesticá-lo, você tirou dele o instinto de sobrevivência nas ruas. Ele só sabe que precisa caminhar o dia todo. Ele não sabe que o sol e o calor podem custar-lhe a vida. Ele só sabe que precisa encontrá-lo.

Aguardei na esperança de que voltasse para buscar abrigo sob a árvore, na esperança de que a água e a comida que havia trazido fizessem com que confiasse em mim e eu pudesse levá-lo para casa, cuidar do machucado da pata, dar-lhe um canto fresco para se deitar e ajudá-lo a entender que agora você não faria mais parte de sua vida. Ele não voltou aquela manhã e, quando a noite caiu, a água e a comida permaneciam intocadas. Fiquei preocupada. Você deve saber que poucas pessoas tentariam ajudar seu cão. Algumas o enxotariam, outras chamariam a carrocinha, que lhe daria o destino do qual você achou que o estava salvando - depois de dias de sofrimento sem água ou comida.

Voltei ao local antes do anoitecer. Não o encontrei. Na manhã seguinte, voltei e vi que a água e a comida permaneciam intactas. Ah, se você estivesse aqui para chamar seu nome! Sua voz é tão familiar para ele. Comecei a ir na direção que ele havia tomado ontem, sem muita esperança de encontrá-lo. Ele estava tão desesperado para te encontrar, que seria capaz de caminhar muitos quilômetros em 24 horas.

Algumas horas mais tarde, a uma boa distância do local onde eu o havia visto pela primeira vez, finalmente encontrei seu cão. A sede não o atormentava mais. Sua fome havia desaparecido e suas dores haviam passado. O machucado da pata não o incomodava mais. Agora seu cão está livre de todo esse sofrimento. Seu cão morreu.

Ajoelhei-me ao lado dele e amaldiçoei você por não estar aqui ontem para que eu pudesse ver o brilho, por um instante sequer, naqueles olhos vazios. Rezei, pedindo que sua jornada o tenha levado àquele lugar que acho que você esperava que ele encontrasse. Se você soubesse por quanta coisa ele passou para chegar lá... E eu sofro, pois sei que, se ele acordasse agora, e se eu fosse você, seus olhos brilhariam ao reconhecê-lo, ele abanaria sua cauda, perdoando-o por tê-lo abandonado

Autor desconhecido.

domingo, 4 de abril de 2010

Bichinhos - Declaração do Pepi!!!


Eu era aquele que te esperava.
O teu carro tinha um som especial e eu podia reconhecê-lo entre mil.
Os teus passos tinham um timbre de magia, eles eram música para meus ouvidos.
A tua voz era o sinal maior do meu momento feliz.
E às vezes tu nem precisavas falar...
Eu ouvia a tua tristeza, eu sentia a tua alegria.
Como isso me fazia feliz!
Eu não sei o que é cheiro bom ou ruim.
Só sei que teu cheiro era o melhor.
De algumas presenças eu gostava...
De outras, não!
Mas a tua presença é a que movimentava os meus sentidos...
Tu acordada me despertavas.
Dormindo eras meu Deus em repouso.
E eu velava teu sono.
Teu olhar era um raio de luz quando percebia teu despertar.
As tuas mãos sobre mim tinham a leveza da paz.
E quando tu saias, tudo era vazio outra vez...
Eu voltava a esperar sempre e sempre.
Pelo som do teu carro.
Pelos teus passos, pela tua voz.
Pelo teu estado às vezes inconstante de humor.
Pelo teu cheiro.
Pelo teu sono sob minha vigília.
Pelo teu olhar, pelas tuas mãos.
Eu era feliz assim...
EU SOU O PEPI

sexta-feira, 2 de abril de 2010